sexta-feira, janeiro 16, 2009

o bairro do amor


Lembro-me de ser pequena e de passar ao lado daquele bairro. Parecia-me muito grande, desorganizado, uns edifícios eram altos, bonitos e transluzentes, outros eram barracas. Fazia-me uma certa confusão como num espaço tão pequeno havia coisas tão diferentes. Ouvia dizer, pela boca dos mais velhos, e das coisas que diziam, que o bairro era perigoso. Porque era labírintico, e díficil de sair dele. Quando às vezes se arriscava a lá entrar, podia acontecer que contornássemos a pequena esquina e encontrássemos o ponto de partida, ou na melhor das hipóteses, a saída. Havia outras vezes que dávamos voltas, muitas voltas, a curva parecia sempre a mesma, o prédio não mudava, e estávamos sempre no mesmo lugar. Havia que ter sorte igualmente, com as pessoas que encontrávamos a caminho. Uns, conhecendo bem a zona, apontavam-nos o caminho certo, ou por vezes, acompanhavam-nos até à saida. Havia outros, que indicavam os caminhos todos errados - por não saberem, ou apenas por maldade.
O mais díficil de acontecer era acabar por ficar ali no bairro, porque se gostava, porque se tinha encontrado um habitante a que ganhávamos muito afecto. Não era suficiente gostar do habitante, era preciso também aprender-se a viver com o bonito e o feio daquele bairro. Não é para todos, ouvia eu os adultos dizer.
Diz quem lá vive, que gosta. Que é preciso alguma experiência para lá se aprender a viver. Mas que vale a pena, e o que o melhor, é por vezes perder-se, porque nunca, nunca lá ninguém se perdeu sem que tivesse achado a saída.

Eu cresci, e sabia que mais tarde ou mais cedo eu teria de entrar ali. Recordo-me perfeitamente quando foi a primeira vez que me perdi. Enganei-me logo na primeira rua. Porque depois de conhecer melhor o bairro, aventurei-me nas suas ruas tortuosas e cores vibrantes. Ainda por lá hoje vivo, e acho que gosto. Tem dias.

Lembro-me de ouvir os meus pais dizerem-me : " filha, toma atenção, é o bairro do amor".

Já lá entrei. No bairro do Amor.

3 comentários:

A Vitamina disse...

E não sabes tu a sortuda que és! Pode custar, pode ser confuso, pode doer mas é tãooooo bommmmm!!
Há bairros como o Bronx que são assim: duros mas com tanta coisa para aprender...:P

A Vitamina disse...

E não sabes tu a sortuda que és! Pode custar, pode ser confuso, pode doer mas é tãooooo bommmmm!!
Há bairros como o Bronx que são assim: duros mas com tanta coisa para aprender...:P

alerts disse...

con5462
ice6871
hack7456
fated6742
load3547