quarta-feira, dezembro 31, 2008

Dois mil e nove!!!!!!!!!! yupi!


o que eu vivi em 2008 e as marcas que me deixou é mais ou menos transmitido pela imagem. Um autêntico furacão. Tive coisas boas, más, muito boas, muito más. Aconteceu-me tudo, fiz um pouco de tudo, e ainda tive tempo de partir as costelas.

Intenso. Que 2009 também assim seja.

FELIZ 2009!!!!

terça-feira, dezembro 30, 2008

jura?


Jura que não vais ter uma aventura
Dessas que acontecem numa altura
E depois se desvanecem
Sem lembrança boa ou má
E por isso mesmo se esquecem

Jura que se tiveres uma aventura
Vais contar uma mentira
Com cuidado e com ternura
Vais fazer uma pintura
Com uma tinta qualquer
Que o ciúme é queimadura
Que faz o coração sofrer

Jura que não vais ter uma aventura
Porque eu hei-de estar sempre à altura
De saber
Que a solidão é dura
E o amor é uma fervura
Que a saudade não segura
E a razão não serena
Mas jura que se tiver de ser
Ao menos que valha a pena

Rui Veloso, Jura


segunda-feira, dezembro 29, 2008

o amor é fódido


Continuamos com a temática literatura.
Estou a dedicar-me a este clássico da literatura portuguesa contemporânea, do Miguel Esteves Cardoso - " O Amor é fodido".

É provavelmente a melhor expressão para definir o Amor. Ou amor, com letra pequena.

O Amor é no fundo quase um virgem. Nós bem tentamos fodê-lo de todas as formas possíveis e imaginárias, mas quem acaba sempre fodido, somos nós.

domingo, dezembro 28, 2008

Senhora viagem


O Pai Natal deve achar que eu sou intelectual, porque este ano encheu-me o sapatinho com livros. Entre eles, presenteou-me com este do Gonçalo Cadilhe, esse senhor viajante.

Reúne textos já publicados e outros inéditos, dos 4 cantos do Mundo. Nunca tinha lido nada da sua autoria, e a bem dizer é o primeiro livro de viagens a que me dedico. Nunca fui muita nessa de literatura de viagens, não sei bem porquê. Acho que às tantas, me dá aquela "invejinha" (porque a inveja é uma coisa muito feia) de pensar... " ah também gostaria de ter ido aqui e feito isto" e porque quero manter algum mistério sobre os lugares que aindas não conheci.
Mas a verdade é que estou bastante entusiasmada com o livro, já li algumas coisas. O facto do gajo ser português até me dá uma certa proximidade, do que se fosse um livro de um viajante de uma qualquer outra nacionalidade. Não consigo explicar.

A sua escrita é simples. O mais importante são os locais e o que passou através das palavras que escreve. Gosto também da postura de assumir-se como um privilegiado pelo estilo de vida que tem.
Pode ser que um dia eu também possa fazer fazer uma volta ao Mundo.

"...que uma viagem é uma coisa muito séria : ninguém regressa igual a casa.Quando viajamos não é apenas o espaço que muda; é o próprio tempo que se altera. Entre o que éramos quando partimos e o que nos sentimos ser quando regressamos, passa uma corrente de transformações pessoais, uma evolução íntima que não corresponde ao modo normal, corrente, ao modo habitual de crescimento espiritual dos seres humanos. Para lá do tempo físico, objectivo, que durou a viagem, houve outra dimensão de tempo onde parte da nossa alma andou a caminhar. Uma viagem é uma coisa muito séria."

do texto Caraíbas: A Colômbia à vista in Tournée, Oficina do Livro 2008

o lugar continua teu.

men are not nice guys ( último de 2008)


Sir Sean Connery

terça-feira, dezembro 23, 2008

querido Pai Natal


Querido Pai Natal,

Estás a chegar amanhã, não é assim?
Desculpa a minha birrinha de ontem, já me passou.
Queria fazer-te mais um pedido. Os outros tu já sabes, e eu não me vou repetir mais que eu sei que tu tens muito que fazer.
Mas há algo muito importante que eu queria que tu anotasses :

DIZ A TODA A GENTE PARA PARAR DE ANDAR NA RUA ATULHADOS DE 20 SACOS NA MÃO A IMPEDIR QUE OS OUTROS PASSEM DECENTEMENTE, E QUE PONHAS UMAS BOMBAS DE CHEIRINHO EM TUDO O QUE É ESPAÇO COMERCIAL!
É QUE EU JÁ NÃO AGUENTO MAIS TANTA GENTE NA RUA... E NA SEMANA PASSADA NÃO CONSEGUI ANDAR DE CARRO EM LISBOA, PORQUE TODO O SANTO PORTUGUÊS FICA TODO ALVORAÇADO E LOUCO COM O ESPÍRITO NATALÍCIO, E COM OS JANTARES DE NATAL!


Até amanhã Pai Natal.
A tua sempre amiga,

Kit Kat

segunda-feira, dezembro 22, 2008

tratado do dia do aborrecimento

Hoje tou zangada. estou mesmo.
Gosto de sorrir, quando me sorriem.
E também gosto de não mostrar os dentes nem boa disposição quando do outro lado mostram o mesmo.
Aprovo a lei do "dá o que recebes". Embora a lei também seja " you get what you give".
Quando é que tudo começou?
Quando é que comecei a receber pouco? Quando passei a dar pouco? Ou quando comecei a receber pouco e daí senti que devia dar menos, ou apenas o suficiente?
Não gosto de viver com raiva e amargura dentro de mim, a infestar-me a mente e o coração. Se assim fosse, envelheceria mais cedo. E eu não quero...
Vou deixando de tar triste. Passo apenas a ser indiferente. A vida ficará mais vazia?A vida também é vazia quando sentimos a balança desiquilibrada.
Há ainda quem mereça e saiba, receber-esses ainda merecem um pouco da força que resta.
Por vezes são meros desconhecidos, e que passam brevemente pela nossa vida.
Isto faz-me ainda mais sentido nesta altura do Natal, onde dar e receber são verbos usados ao pontapé.Ui,o meu espírito natalício está mesmo em altas.
Deixei-me de importar.

Um dia faço as malas e vou.

quinta-feira, dezembro 18, 2008

jazz-me muito

Gosto bastante de jazz.
Gosto e pronto. Relaxa-me, mete-me bem disposta. Anima-me, faz-me lembrar coisas passadas, mete-me ritmo nos pés e no corpo. Faz-me também adormecer. Serve-me para tudo, só depende do meu estado de espírito e de como me sirvo do jazz quando o ouço.

De bom grado transformaria a minha casa, ou só o meu quarto num bafiento clube de jazz. Um estrado ao fundo. 4 músicos em palco. Imagina-os gordinhos e de pele escura. Vestidos de fatinho e com o chapéuzinho cliché.
Com um sorriso na cara e a abanarem-se ao som da música que nos tocam.
Um barman com um bigodinho, magrinho, com um sorriso tímido.
Mesinhas pequeninas e baixinhas onde se vão acumulando uns copos, os cigarros de quem os fuma. Cadeiras e bancos de veludo, talvez com umas franjinhas.
Não há muita luz sequer.
A música e as gargalhadas de quem se vai rindo no meio da música.

E toda a gente vestida com a moda dos anos 20.

sexta-feira, dezembro 12, 2008

caso acaso

Não, o palco não é um bicho papão.
Afinal de contas, ele é pequenino, e eu no momento em que o pisar vou ter meio metro a mais. Vou ser grande.
A voz nem o texto não vão falhar, nem vou tremer de frio. Vou ser tão colorida quanto a tenda do circo que nos abriga, e vou contrastar com o preto dos panos que rodeiam o palco.
Vou brincar com o texto, dar-lhe ainda mais entoações, vou fazer as emoções das personagens as minhas emoções, e esquecer-me de mim naquele momento.

Apenas as luzes e os colegas de palco. Os olhos daqueles que estão nas bancadas vejo-os pregados em nós, mas não intimidam.

A minha maior personagem sou eu, mas para essa tenho todos os outros dias da minha vida.

terça-feira, dezembro 09, 2008

nervoso miudinho



coisas de gaija

-Os homens são uns filhos da mãe.
- Não são nada, coitadinhos. São tão queridos. Tu só tens de agir como eles. Ou ainda pior
.


She got a nasty reputation and a talent for sin
She's the kinda trouble i'd like to be in
I wanna be a lover - I wanna be a slave
But she's the kinda women makes me wanna misbehave
So give it what you want boy - let's make it understood
That if ya wanna be bad ya gotta be good

Bryan Adams, If you wanna be bad ya gotta be good

o retrato de alguém pode ser isto


Querida ,
Lamento informar-te mas não poderei comparecer em tal evento por motivos de saúde. Pois é, como tu sabes desde que vim de Valência que me têm acontecido alguns precalços e o mais recente foi a caminho do trabalho (não sei se te disse q estou a trabalhar na Av. de Liberdade agora). Estava em caminho ou a regresso do trabalho (ja não me lembro muito bem) e tive um acidente, nao de carro mas de metro!!!
Sempre ouvi imensas piadinhas sobre isto mas não é q acontece mm? E logo comigo?Pois é, conclusão:algumas costelas partidas e vou ter q mm ficar em casa. Mas nem tudo é mau. Para compensar a minha ausência depois envio.te um convite para a minha peça de teatro.Sim pq eu agora faço teatro nao sabes? A Angelina Jolie que se prepare! ah é verdade, depois também podemos combinar um cafezinho para te mostrar as fotos de qd fui a Paris!Boa?

Beijinho grande,
by Vitamina

assim seja

A única forma de se libertar de uma tentação é entregar-se a ela.

Óscar Wilde

domingo, dezembro 07, 2008


apareceste-me lá em casa, com 2 garrafas de vinho. O vinho de sempre, já nem precisávamos de conversar sobre qual o vinho que comprar porque era sempre o mesmo. Disseste que tinhas convidado muita gente para uma festa essa noite.
Maliciosamente puseste as 2 garrafas em cima da mesa e olhaste para mim. Querias que eu bebesse. Uma garrafa para mim, outra para ti. Soube-o, sem me dizeres nada. Sei de cor o teu olhar.
E bebemos, bebemos, e eu já não sabia parar. Estavam muitas pessoas em casa, mas eu só te ouvia a ti. O vinho encardia-me a língua, e dançava-me no corpo. Tu contavas-me coisas aos ouvido que eu não sabia e riamo-nos alto. Pusemos a música mais alta ainda, mas os vizinhos até gostavam. Os outros vinham ter comigo, a tentar distrair-me de ti. Faziam o mesmo contigo. Mas eu sabia que aquela noite ia ser nossa.
Riamo-nos alto. Mas tão alto. Mas ninguém entendia as minhas piadas e o porquê das tuas gargalhadas. Às vezes dizias coisas que eu não entendia. eu obrigava-te a repetires 3 vezes. Tu desesperavas e dizias que o vinho já começava a fazer efeito. E eu replicava-te que estavas mais bêbado que eu.
Tu dizias que não, levantavas-te do sofá, pegavas numa das gajas da festa e dançavas com ela. Eu não tinha ciúmes, porque eu sabia porque o fazias.
Estavas a provocar-me, porque é essa a tua natureza. Conheço-te bem. Eu virava a cara para te fingir que me importava. Porque tu gostas de ver as minhas reacções, mesmo quando não te preocupas com elas.
Eu levantava-me do sofá e ia buscar mais um copo de vinho, já não sei de que garrafa. Já andava torta e a rir-me para todos. Algum deles me agarrou e eu ri-me. Tu não te importaste, nem sequer fingiste que olhaste. Sabias que ia acabar a noite contigo.
Os outros invejavam-nos naquela noite. Sabes porquê? porque eles olhavam para nós e sabiam que nós iamos terminar a noite na mesma cama. Faziamos faísca mesmo estando cada um na sua ponta da sala.
E de repente, sem eu me lembrar como, estavamos no quarto.Tu tinhas-me puxado pela mão a dizer-me que tinha que me deitar, porque só fazia disparates. E eu sabia que o grande disparate estava para vir.
Com o barulho ensurdecedor da música da sala, dos risos dos outros,eu já não ouvia nada. Nem tu. Concentramos-nos em nós.
Tínhamos esperado tanto por aquilo. Acabámos satisfeitos.

sexta-feira, dezembro 05, 2008

podemos pensar nisto


No próximo dia que se sintam mal, em baixo ou que o mundo está todo contra vocês, lembrem-se disto:

uma colega de trabalho esteve em S. Tomé e Príncipe, e numa das muitas vezes que esteve com as crianças pobres que deambulam pelas ruas e que ficam deliciadas quando lhes oferecemos uma caneta, espantaram-se quando ela lhe quis oferecer um rebuçado.
Não sabiam o que era, e muito menos como se abria.


há quem no mundo não saiba o que é um rebuçado.

quinta-feira, dezembro 04, 2008

64

Se fosse vivo, faria esta semana 64 anos.
Perdemo-lo, e só ( muitos) anos depois foi-lhe reconhecido o talento que sempre teve.
Cabeleireiro e excêntrico, figura inigualável, escreveu canções que sabemos de cor, e que permanecem intemporais, de tão verdadeiras que são as palavras que as constroem.

Em 2004, houve quem tivesse a ideia de para recriá-lo. Continua para mim a ser um albúm imprescindível, e das melhores coisas que já se fizeram com a música portuguesa. Se fosse vivo, António Variações teria gostado, de certeza de todas as músicas.



e eu, tristemente, não assisti a nenhum concerto deles.

quarta-feira, dezembro 03, 2008

hoje vou dar de beber à dor

Recordações do calor
E das saudades. O gosto
Que eu vou procurar esquecer
Numas ginginhas,
Pois dar de beber à dor é o melhor,
Já dizia a Mariquinhas.

Amália Rodrigues, Dar de beber à dor ( Casa da Mariquinhas)

hoje tou assim


quinta-feira, novembro 27, 2008

desafio

Respondo ao desafio da SG.
Respondo com músicas de Jamiroquai.


1)És homem ou mulher? Cosmic Girl
2) Descreve-te: Dynamite
3) O que as pessoas acham de ti? Canned Heat
4) Como descreves o teu último relacionamento: Where do we go from here
5) Descreve o estado actual da tua relação: Butterfly
6) Onde querias estar agora? Travelling without moving
7) O que pensas a respeito do amor? Little L
8) Como é a tua vida? Supersonic
9) O que pedirias se pudesses ter só um desejo? King for a day
10) Escreve uma frase sábia:
I found a God that I can pray to
Deep inside my soul, hey.

A febre do Natal está a chegar. Ela já anda por aí.
Como tem sido hábito, fui na minha hora de almoço aos Armázens do Chiado e já vi a Fnac e o resto dos armazéns a abarrotar de gente, e muitos sacos já nas mãos das pessoas.
Na verdade, não quero falar da febre de Natal, que para mim só começa oficialmente dia 23 de Dezembro e acaba dia 25. Sim, é um exagerozinho.


É absolutamente verdade que o consumismo consome ( passo a redundância) a alma às pessoas e ficamos todos cegos quando chega a hora de comprar, comprar. Roupa, jogos, cremes, livros, cd´s, acessórios, o que seja. Adoramos chegar a casa com 5 sacos em cada mão e pensar " que bela tarde de compras!". Enquanto compramos, enquanto gastamos, somos felizes, porque aqueles objectos materiais estão temporariamente a substituir algo.

O que me aconteceu esta semana( e não sou a gaja mais consumista deste mundo) é que andava a olhar para as montras das lojas, andei a rondar a Fnac com a vontade de comprar, comprar uma pequena coisa que fosse. Nada me seduziu. Não sabia exactamente o que comprar. Só sabia que queria voltar para o trabalho com um saco na mão e feliz por ter comprado uma coisa nova. Foi exactamente nesse momento que percebi que eu estava a tentar compensar com as compras algo que não é possível de comprar com o dinheiro. Não há nada que possa substituir o que sentimos cá dentro. E é uma tarefa pouco produtiva tentarmos enganar-nos a nós próprios com uma compra consumista.

quarta-feira, novembro 26, 2008

tão simples como isto

Oh well I don't mind, if you don't mind'
Cause I don't shine if you don't shine
Before you go, can you read my mind?

The Killers, read my mind

terça-feira, novembro 25, 2008

já não há estrelas de rock, como havia antigamente

já não há estrelas de rock.
Sexo, drogas e rock n´roll.Isso existe, hoje em dia?
Eu perdi o encanto das estrelas de rock, porque as supostas estrelas de rock de hoje em dia são uns betinhos de primeira escala. Não os sentimos a cantar com garra, com aquele sentimento de desprendimento a tudo e todos, focados naquele seu ideal, naquela música que lhe sai dos pulmões e sobretudo da alma. Os cabelos já não são compridos, despenteados ou simplesmente já não andam a dançar.
As estrelas de rock agora preocupam-se com a pose, com as calças no sítio, as boxers CK a ver-se, prontos para ficarem com a mais bonita pose para o fotógrafo. Inspiram-se na ultra tight da Victoria Beckham.
Pintam as unhas e têm voz de menina, assim meio esganiçada.
A autenticidade já não é a mesma. É tudo muito mais combinado, acertado, prontinho para bater certo, para que nada falhe ou escape. Temos que vender muitos albúns, fazer umas capas bonitas e aparecer sempre sorridentes.
As estrelas de rock de hoje em dia são limpinhas e estudam o manual de " como ser uma estrela" antes de o realmente serem.

Não, o ideal de estrela de rock não é um gajo sujo e porco. É simplesmente mais espontâneo do que aqueles que vemos todos os dias.

Tamos fartos de meninos!

quarta-feira, novembro 19, 2008

hoje neste blog vai falar-se de sexo ( desta vez menos subtilmente)

But it's not forever
But it's just tonight
Oh we're still the greatest
The greatest
The greatest
You your sex is on fire

Kings of Leon, Sex is on fire
( quem já teve oportunidade de dizer isto a alguém?)

sábado, novembro 15, 2008

espia sou eu


Terminei a minha semana com uma ida ao cinema ver o mais recente 007 "Quantum of Solace".Aproveito para dizer que gostei mas que esperava melhor.

No entanto este post serve para partilhar isto : " um dia quando for grande vou querer ser espia". Sim, é verdade, no meu imaginário os espiões têm algum lugar de destaque, sempre me fascinou a sua figura, os seus hábitos e os seus clichés que associamos a estas personagens; que não só existem nos filmes.
Um dia imagino-me de vestido preto ( ou com algo que me faça uma figura elegante, mas sempre de preto) a seguir alguém, fazer perseguições malucas de carro onde apenas ganho arranhões, ter uma pistola e andar aos tirinhos pum pum pum aos malvadões dos mauzões da fita e ganhar-lhes,claro. Saber os grandes segredos de estado, conhecer aqueles terroristas disfarçados de empresários e homens de poder inofensivos.
Ou então estar num restaurante, fingir estar a tomar a minha refeição, abrir um jornal e ter um buraco muito pequeno na página central para poder espreitar o que se passa à volta.
Há outra coisa que sempre sonhei em fazer : perseguir alguém através dos telhados, saltar de varanda em varanda e ter que passar por dentro da casa das pessoas. Sempre achei muito divertido.

standing next to me

Esta música é realmente boa. Last shadow Puppets.

men are not nice guys

Chico Buarque

domingo, novembro 09, 2008

Yes, we can

Esta semana fez-se história. Descobrimos que afinal não era só Portugal que espera(va) pelo seu D. Sebastião.Não chegou numa manhã de neblina, mas em tempos de ideias turvas, com a mensagem mais certeira : sim, precisamos de e da mudança.

Demasiado caracter messiânico, com expectativas altas ( muito altas) a decairem sobre ele. Assim o é porque é jovem, com garra e a querer marcar a diferença.
Porque mesmo que Barack Obama não consiga estar à altura dos desafios que o espera - esperamos muito dele; foi memorável a vitória, o discurso, e a emoção que rodeou a eleição nos últimos tempos. Pelo menos por alguns tempos, nós acreditamos.
Gostava de ter sido americana (embora nunca tenha tido o sonho americano) para poder votar nele. Com Obama, os EUA vão recuperar um certo glamour que perderam com a figurinha de Bush.
É a minha homenagem àquele, que adianto já, é o homem do ano para este blog. Admiro-o genuinamente e gosto do que ele representa e do que ele pode vir a representar.
Inspirador porque gosto de acreditar que sim, yes, we can.
É pedir muito infelizmente, que pelo menos uma minoria reduzida dos políticos tivessem o carisma que este senhor tem.

Também podemos simplificar como o Berlusconi e dizer que Barack Obama " é jovem, bonito e tem um tom bronzeado".

men are not nice guys


Sir Mick Jagger

sábado, novembro 08, 2008

incompetências diárias

Num dia destes, no fim de uma reunião m*rdosa de trabalho, apanhamos boleia de um daqueles senhores que se julga importante, com uma carreira invejável e que trata apenas pelo apelido os grandes senhores importantes das empresas, para dizer-nos subtilmente que faz parte de uma certa e determinada elite.
No meio de todo um discurso absolutamente egocêntrico, desinteressante e aborrecido fixei um pensamento: " todos os dias, ao trabalharmos, deparamo-nos com as nossas incompetências. E há momentos em que não as conseguimos ultrapassar".
Nada mais verdade. Todos os dias, no trabalho ou na nossa vida é damos de frente com os limites que temos, com aquilo que não conseguimos fazer.
Há dias em que os ultrapassamos, e sentimos as pequenas vitórias pessoais, com um sorriso timido. Há tambem aquelas incompetências que nos obrigam a encarar de frente a forma como somos moldados, e nem sempre gostamos daquilo que descobrimos.

Custa-me encarar de frente as incompetências que tenho, mas não tenho medo delas.
A imaginação permite sonhar com as soluções para as ultrapassarmos.

uma ideia para este sábado

sim, um dia gostava de me vestir como zombie, ou de coisa feia, aprender a coreografia do Thriller do Michael Jackson e dança-la tal como vemos no video.

quarta-feira, outubro 29, 2008

nesta casa hoje vai falar-se de sexo ( ainda que subtilmente)

I need to get you out of your cave man (Primitive)
I wanna let you out of your cage and set you free
If tonight's the night
I'm gonna show you I ain't got no game plan (Primitive love for me)


Primitive, Roisin Murphy

domingo, outubro 26, 2008

para um final de domingo mais... high

Tell your boyfriend next time he around
To buy his own weed and don't wear my shit down
I wouldn't care if brave would give me some more
I'd rather him leave you than leave him my draw
When you smoke all my weed man
You gots to call the green man
So I can get mine
And you get yours
Once is enough to make me attached
So bring me a bag and your man can come back
I'll check him at the door make sure he got green
I'm tighter than airport security team
When you smoke all my weed man
You gots to call the green man
So I can get mine
And you get yours
I'm my own man
So when will you learn
That you got a man but
I gots to burn
Don't make no difference if
I end up alone
I'd rather have myself and smoke my homegrown
Its got me addicted, does more than any dick did
Yeah I can get mine and you get yours
Yeah I can get mine and you get yours

Amy Winehouse, Addicted

Last night

muito bom.

sábado, outubro 25, 2008

--

Fiz muitas viagens na minha cabeça e no meu sofá. No metro. Na cadeira do trabalho.
No carro no trãnsito. Uma destas noites, quando antes de adormecer ouvi o som da lágrima a cair na minha almofada não percebi totalmente de onde vinha aquela gota de água. pequena e sentida. Tenho medo da solidão, embora a confunda com a uma falsa sensação de companhia. Mas já não tenho medo, pouco me importa, quando um único segundo muda tudo. Não vou ter mais medo das acusações fáceis de egoísmo ou egocentrismo, que é que isso que tenho recebido. O medo não me paralisa mais, porque o caminho está à minha frente e à espera de ser trilhado e desbravado. Vou deixar de virar a cabeça para trás e ter medo do passado. Começo a fazer as malas, uma por uma. Tiro das gavetas aquilo que realmente necessito e lanço pela janela, sem pudor dos que passam lá em baixo o que não é necessário.
Escrevo nas paredes o nome de quem não quero esquecer e apago o que não quero ler. Se quiseres acompanhar-me, vem. Se não quiseres, paciência.
Grito a plenos pulmões de alegria. Grito a plenos pulmões de raiva. Esqueço. Apago. Renasço. Vivo.Choro. Rio. Tenho saudades. Fechei.
A aventura da minha vida começa hoje.

Men are not nice guys

George Clooney

quinta-feira, outubro 23, 2008

quinta de manhã

"Eu sou de todo o mundo.
E todo o mundo é meu também."

Já sei namorar, Tribalistas

domingo, outubro 12, 2008

citação de domingo à noite

" O povo português é, essencialmente, cosmopolita.
Nunca um verdadeiro português foi português: foi sempre tudo."

Fernando Pessoa

quarta-feira, outubro 08, 2008

no dia em que voltar a sair à noite

Please don't talk about love tonight.
Please don't talk about sweet love.
Please don't talk about being true
and all the trouble we've been through.

Ah, please don't talk about all of the plans
we had for fixin' this broken romance.
I want to go where the people dance.
I want some action ... I want to live!

Action ... I got so much to give.
I want to give it. I want to get some too.

Oh, I ... Ohhh I ... I love the nightlife,
I got to boogie on the disco 'round, oh yeah.
Oh, I love the night life,
I got to boogie on the disco 'round, oh yeah.

Please don't talk about love tonight.
Your sweet talking won't make it right.
Love and lies just bring me down
when you've got women all over town.

You can love them all and when you're through,
maybe that'll make, huh, a man out of you.
I got to go where the people dance.
I want some action ... I want to live!

Alicia Bridges, I Love the NightLife

segunda-feira, outubro 06, 2008

I want to believe ( oh yes I do..)

Por motivos editoriais, e sobretudo por falta de paciência, não dediquei até agora explicitamente um único post a um homem, ou melhor, a uma star. Um cantor, um actor ou a um modelo. (ou pelo menos não me lembro.)
Tive a minha época de posters colados no meu quarto (coisa da qual acho que me arrependo claramente) mas há stars que continuo a achar tão jeitosinhos como nessa altura. Quem me conhece à muito tempo sabe que no meu top dos mais jeitosinhos sempre esteve o David Duchovony, ou para os mais distraído(a)s o Fox Mulder.
(Se um dia tiver um gato vou chamar-lhe Fox Mulder. ou Só Fox. Ou então Mulder. Fox Mulder para um cão não me parece adequado. Mas é bem improvável que venha algum dia a ter um gato.)
Aquele ar enjoado e sério, lunático dos ET´s, aquele casaco comprido negro, aquele movimento de mão nas ancas que deixa para trás o casaco, os maxilares bem definidos... Já li algures que as mulheres acham os homens mais atraentes quando estes têm os maxilares bem definidos...embora não saiba exactamente o que sao maxilares mal definidos.
A verdade é que está obviamente mais velho e enrugado do que nos inicíos dos anos 90 , mas acho que merece ser ele a romper com os meus critérios editoriais.

Depois posso desculpar-me com o possível efeito dos medicamentos por ter feito este post que pode estragar a já fraca dignidade do meu blog.
ps. ah, e fica desvendado o segredo, para quem ainda não soubesse, o significado do e-mail que utilizo.

sábado, outubro 04, 2008

there is no use

Naquele momento em que senti o metro a travar com tal força e voei, vi estrelas no momento em que as minhas costas embateram contra a cadeira. Só depois fui começando a tomar consciência da dor, que foi aumentando, aumentando e eu só queria que aliviasse. Demorou a aliviar, e as dores continuam a acompanhar-me. Anseio pelo dia em que voltarei a mexer-me como sempre me mexi : muito e despreocupadamente.

Vou recordar-me das mãos suaves do médico que ficou comigo. (Quase que tive tempo de me apaixonar por ele)
Senti-me corajosa quando entrei e me vi naquele hospital completamente sozinha. Deixei as lágrimas cairem pela primeira vez, da ansiedade de estar naquele lugar e de não saber o que realmente me esperava. Esperam-me alguns dias de repouso e de uma calma a que já não estava habituada, de tantos projectos que tinha na minha mente e na minha vida.
Não posso perder tempo a perguntar-me porque fui a única a magoar-me e precisamente nesta altura da vida. Não vale a pena aborrecer-me, chatear-me com as coisas que não valem realmente a pena. Num segundo, como aquele que vivi, a vida pode mudar, pode estragar tudo o que costruímos e no fundo somos simplesmente seres frágeis e pequeninos.
É só clichés, mas é a verdade pura e dura.

sexta-feira, outubro 03, 2008

e então?

Sim, tenho uns sapatos cor-de-rosinha.
e então?

4 anos

Fez esta quarta feira, dia 1 de Outubro, exactamente 4 anos que iniciei o Erasmus.
Milano.
Descobri muitas pérolas na música italiana.
Mas esta é canção que mais me diz quando me lembro de tudo.





Ci sono le tue scarpe ancora qua ma tu te ne sei già andata
c'è ancora la tua parte di soldi in banca ma tu non ci sei più
c'è ancora la tua patente rosa tutta stropicciatae nel tuo casseto un libro letto e una Winston blu...
L'ho fumata...

Ci sono le tue calze rotte la notte in cui ti sei ubriacata
c'è ancora lì sul pianoforte una sciarpa
ci sono le tue carte e il tuo profumo è ancora in questa casa
proprio lì dove ti ho immaginata...

Ma, da quando Senna non corre più...
Ah, da quando Baggio non gioca più...
Oh no no, da quando mi hai lasciato pure tu,non è più domenica...
ma poi si dimentica...non si pensa, non si pensa più...

Ci sono le tue scarpe ancora qua ma tu non sei passata
ho spiegato ai vicini ridendo che tu non ci sei più
un ragazzo in cortile abbraccia e bacia la sua fidanzata
proprio lì, dove ti ho incontrata... non ci sei più...

Ora vivo da solo in questa casa buia e desolata
il tempo che davo all'amore lo tengo solo per me
ogni volta in cui ti penso mangio chili di marmellata
quella che mi nascondevi tu... l'ho trovata...

Marmelatta #25, Cesare Cremonini

terça-feira, setembro 30, 2008

teatro da vida


maquilho-me no camarim. invado o meu rosto com cor branca. cor azul. cor vermelha. posso parecer um mimo. um palhaço ou então uma mulher mal maquilhada. cada um me interpretará como lhe for mais fácil ou como lhe parecer mais óbvio.

De cada vez que subo ao palco, fico nervosa, tremo as pernas, as mãos. a barriga dá um nó. Para mim as luzes, sempre vão ser agressivas, a encandear-me. Quando contracenamos há o medo de esquecer das falas ou de dizer algo fora do tempo, falhar aquilo que todos ensaiámos antes de entrar em palco.

Finjimos que somos isto, que somos aquilo.assim,assado. Blá Blá. Uhuhuh. Ahaha!
Eu sei que o público assiste-nos, cuidadosamente e atentamente sentado nas cadeiras de veludo vermelhas, cor da paixão, da volúpia, da luxúria, ou então só cor que é cor vermelha. O mesmo público que não vê as nossas falhas mesmo quando falhamos. Somos bons a improvisar.
Riem-se quando acham por bem. Acham rídiculo quando lhes aptece. Mas também choram. Choram baba e ranho. E sentem-se incrédulos quando também se surpreendem e sentem-se atingidos. Ninguém escapa à nossa actuação, porque é boa demais.
Às vezes não batem palmas no fim. Às vezes saem antes do fim, com desrespeito. Já atiraram flores, outras vezes tomates.

O melhor momento é quando trocamos. Eu sento-me na cadeira vermelha de veludo, e os sentados no veludo passam para o palco. Aí vemos nós as falhas, os erros, os esquecimentos, a falta de jeito para representar.

Quando volto ao camarim para me desmaquilhar, olho para o espelho e sorrio.

domingo, setembro 28, 2008

considerações domingueiras #2

poor is the man
whose pleasures depend
on the permission of another.

considerações domingueiras

é imperdoável postar sobre algo que veio na imprensa na semana passada, para um blog que se quer actual. paciência.

Sábado passado, o jornal Expresso, bonitinho, lavadinho, respeitadinho como só ele consegue ser, decidiu pôr na capa do seu sumplemento cultural Actual que é bonitinho, lavadinho, respeitadinho, os Buraka Som Sistema, os tais que misturam o tal do Kuduro e a tal da eletrónica. Senhores da Amadora, está visto. Essa ralé ( e amigalhaços cá da casa.)

É a Amadora no seu esplendor.
( como a legenda desta imagem.)

ps. a digitalização da foto da revista também não ficou grande coisa.

quarta-feira, setembro 24, 2008

preguicite

estou com uma preguicite aguda, agudissíma.
aptecia-me estar refastelada, quem sabe, a comer um croissant com manteiga quentinho.
tudo menos estar aqui sentada à frente do pc a precisar de ideias e não as conseguir ter.

não...hoje não é um dia particularmente produtivo.

segunda feira, dia 29 de setembro

Que péssimo dia para fazer uma festa de aniversário de 10 anos.
Mas eu até iria.

quarta-feira, setembro 17, 2008

ainda madonna

Your heart is not open, so I must go
The spell has been broken...I loved you so
Freedom comes when you learn to let go
Creation comes when you learn to say no
You were my lesson I had to learn
I was your fortress you had to burn
Pain is a warning that something's wrong
I pray to God that it won't be long
Do ya wanna go higher?
There's nothing left to try
There's no place left to hide
There's no greater power than the power of good-bye
Your heart is not open, so I must go
The spell has been broken...I loved you so
You were my lesson I had to learn
I was your fortress
There's nothing left to lose
There's no more heart to bruise
There's no greater power than the power of good-bye
Learn to say good-bye
I yearn to say good-bye

the power of good-bye, do album Ray of Light

aniversário oxigénio

A Oxigénio festeja o seu aniversário com 3 concertos ( muito) aptecíveis nos próximos tempos.
A saber :

Thievery Corporation, dia 19 de Outubro no Coliseu dos Recreios
Roisin Murphy, ex- Moloko, dia 30 de Outubro também no Coliseu dos Recreios
Fat Freddys Drop, dia 7 de Novembro no Pavilhão dos Lombos em Carcavelos

Dia 7 de Novembro quero lá estar. Se o milagre da multiplicação acontecer, também quero ir dia 30 de Outubro.

quinta-feira, setembro 11, 2008

terça-feira, setembro 09, 2008

para uma terça feira mais marota

Uma pérola daquelas que encontramos na Internet :

" Orgasmo é que nem Deus - ele está dentro de nós e só age e se faz presente se a gente deixar."

domingo, setembro 07, 2008

lost in translation


Lost in translation.
É passear-me no meio da multidão, e sentir-me tão perdida e só como se passeasse nas ruas de Tóquio, no meio dos olhos em bico e da língua que não entendo.
É saber dos encontros e desencontros da vida, das pessoas que gostamos, que vimos partir, que vimos regressar. É sentir a amizade, o apertar da mão, o piscar do olho, a loucura de uma saída à noite, cometer disparates, beber um copo a mais. É ouvir a música de olhos fechados, a abanar a cabeça, a juntar os corpos.
É sentir o amor, por vezes amor quase impossível, um olhar cúmplice, um beijo desejado ou meio disfarçado.
É a tristeza de uma despedida, ou a alegria de um novo início. É os sentimentos á flor da pele, de lágrima fácil. É sentir a vida, de aceitar as surpresas, os obstáculos, as saudades.
I`m lost in translation.

quinta-feira, setembro 04, 2008

MOTELx


Lisboa parece-me uma cidade culturalmente viva, e sente-se a diferença entre o hoje e uns 7/8 anos atrás. Para a dimensão de cidade, de país ( e às vezes de gente...) podemos continuar a pedir e a exigir mais, mas não podemos queixar-nos de todo. Há opções para todos, sejam eles minorias ou maiorias. Há público para quase todo o tipo de espectáculos, incluindo os alternativos. O português, neste caso, o lisboeta,gosta do mainstream mas é definitivamente receptivo a propostas diferenteA fazer a reentrée, e a deixar para trás a silly season temos um peculiar festival de cinema, e que reflecte a diversidade de que falava : MOTELx. Festival de cinema de terror de Lisboa, a acontecer no Cinema S. Jorge. Este cinema vem prestando um bom contributo cinematográfico à cidade ( mais que aquela coisa chamada Cinemateca, que infelizmente me parece um pouco amorfa).
Dificilmente vou lá ver alguma coisa - acho que deve ser demasiado hardcore. Mas não deixa de ser uma óptima sugestão para quem gosta, ou para quem quer arranjar desculpa de se agarrar ao homem ou mulher que vai consigo. Ou simplesmente para dar pulos na cadeira.
Festivais de cinema a decorrer em Lisboa lembro-me do Lisbon Village, do Festival de Cinema Francês, do Indie, este ano houve um de cinema Italiano... e por aí fora.

Deixem-se de desculpas, porque há muitas para sair de casa e ver coisas diferentes. O maior problema, considero, continua a ser a falta de gente especializada para tratar este tipo de produto cultural e divulga-lo. Saber cuidar da cultura desta terra. Mas epá, é para isso que tirei Comunicação Cultural!

terça-feira, setembro 02, 2008

dr bayard


Os rebuçados dr. Bayard são um clássico, e eu estou a reconhece-lo agora.
Quando era miúda e tinha tosse ouvia os meus pais a dizerem " toma um rebuçado do Dr. Bktrtk" ou qualquer coisa assim - porque eu não compreendia o nome. Normalmente era na casa dos meus avós que eles existiam em mais quantidade. Olhava para os rebuçados e via um desenho de um homenzinho a tossir.
Não gostava de tomar aqueles rebuçados porque achava que era uma coisa de velhos.

Hoje, gosto do sabor, gosto do design branco com um senhor a tossir e gostava de ter um pacotinho lá em casa para comer um sempre que me aptecesse. Tenho que ir ao supermercado.
Acho que os rebuçados mereciam uma homenagem no meu blog.

E para comprovar que os Dr Bayard seguem os avanços da civilização, até já existe o site : www.drbayard.pt

acordo ortográfico : sardinha assada com farofa


Acho este cartoon algo de muito divertido. Em vez de termos o Camões de braço alçada no meio do oceano para salvar os Lusíadas, vemo-lo a dançar um sambinha e a dizer " As armas e os barões assinalados.. e aí! beleza brother!"

segunda-feira, setembro 01, 2008

simplesmente chico


não tenho por hábito comprar livros depois de os ter lido por empréstimo.

com este fiz uma excepção, porque gostei realmente do livro. vou rele-lo em breve, de certeza. descobrir coisas que não descobri na primeira leitura.

gosto. gosto muito.como à muito tempo não gostava.

faltam 13 dias


quinta-feira, agosto 28, 2008

quinta à noite

estou a sentir-me pouco aproveitada. a aproveitar pouco das minhas capacidades. tou com vontade de pular, de subir mais alto, de assumir a responsabilidade, de sentir o stress a rondar.
sobreduto, com necessidade de criar.criar algo.

hoje, diria que me sinto um pouco frustrada. mas segundo o que me disseram, amanhã é outro dia.

quarta-feira, agosto 27, 2008

verniz pintado

quis pintar as minhas unhas de vermelho. para que me pudesses achar bonita. mas só pintei ainda a esquerda. só com uma mão pintada irias achar-me bonita na mesma?
Tu,, se me desses um abraço agora, o que me poderias dizer? Aliás, será que sabes abraçar-me? O abraço, aquilo em que abres os teus membros superiores, os envolves à volta de outra pessoa e envolves alguém, e/ou deixas envolver-te. Há o abraço carinhoso, o bem disposto, ou então em que te limitas a cair para cima da outra pessoa, tipo peso morto à espera que o outro abra realmente os braços.Não, tu não saberias abraçar-me porque os teus braços deixaram de ter força para mim. Ou sou eu que já não caibo no teu abraço.
Pintei só uma mão de vermelho porque basta uma mãozinha para que me achasses vaidosa. Basta dar uma mão para passar o sentimento.
Mas basta a outra mão, sem o verniz, para te dizer basta, sai, fora, terminou. Mas tu também não saberias dar a mão, e entrelaçar os teus dedinhos nos meus. Ou fazer aquelas coceginhas na palma da mão.Ou fazer massagens nas mãos.
Mas sabes, eu não posso andar assim na rua. Vou ter que pintar a outra mão. A mais dificil, a direita. Porque a mão esquerda não pinta tao bem. e eu faço isso sempre depois.

-

Quando ganharás juizo?
Não sei. Talvez amanhã.

Amanhã a mesma pergunta. Amanhã a mesma resposta.

terça-feira, agosto 26, 2008

walking after you

Ontem fui ver os X-files. E isto é a BSO do primeiro filme. E não gosto da relação lamechas e beijoqueira do Mulder e da Scully...

domingo, agosto 24, 2008

afinal Nelson tu é que és o maior

já vai um pouco atrasado, mas conta a intenção.

o diário da maria #2

sonhei que regressavas à minha vida.
nos primeiros segundos quando acordei, acordei feliz, porque o sonho foi tão real que acreditei nele. pensei que afinal estavas do meu lado.voltei a ser feliz por 3 segundos.
mas foi só um sonho e senti uma pontada no coração. ou o vazio que de vez em quando se instala em mim.
liguei-te, tu não atendeste. arrependi-me de o ter feito.
guardei as coisas que me tinhas dado. tentei esquecer-te pela trigésima vez.
há dias em que te quero esquecer por definitivo e zango-me. há outros dias em quero aprender dar tempo a mim próprio e entristeço-me. há também os dias em que penso que queria outro homem para te esquecer, mas desisto rapidamente da ideia.
sei que já tiveste outras mulheres. isso pouco me importa, porque pouco me interessa o sentimento que colocas quando estás com outras. só interessa o sentimento que colocas quando estás comigo.

quarta-feira, agosto 20, 2008

os arrumadores de carro são uns gajos fixes

O mal-cheiroso do arrumador de carros ( e acrescento o mal-cheiroso não por puro insulto, mas era realmente assim) ajudou-me a escolher o melhor lugar para estacionar o carro, e enfim, tirei a carteira da mala para dar-lhe uma simpática moeda.
Aconteceu que só tinha duas moedas de um euro. Em caso algum, um arrumador de carros merece tal quantia elevada.
Sem outra solução, dirigi-me a ele e disse : "oh amigo, temos aqui que fazer um acordo." ele concordou, com um ar desconfiado. " eu só tenho um euro, mas não lhe posso dar isso. por isso, se me der troco de 50 centimos..." Ele riu-se, de sorriso amarelo, e lá me deu o troco...

terça-feira, agosto 19, 2008

please, don´t stop the music

Já fui:

- The Cure, Ciudad de las Artes y las Ciencias, Valencia
- Elk City , Club El Loco, Valencia
- Rock in Rio, com a querida da Amy Winehouse, dia 30 de Maio
- Oeiras Alive, a ver a bomba de Rage Against the Machine,dia 10 de Julho
- Festival Sudoeste, a trazer para casa o pó e os problemas de som dos Franz Ferdinand, dia 10 de Agosto

Ainda para ir:

- Madonna, dia 14 de Setembro
- Aimee Man, dia 18 de Outubro- Aimee Man, dia 18 de Outubro
- Fat Freddys Drop (finalmente!!), dia 7 de Novembro

segunda-feira, agosto 18, 2008

metro indiscreto

à poucos dias atrás ia no metro, a preparar-me para o trabalho.
deu-me uma vontade de chorar, pouco importa porquê.
Mas tive vergonha, intimidei-me, constrangi-me pelos anónimos todos que estavam ali à volta. Os olhos lacrimejaram.
Quando levantei a cabeça e olhei para o banco à minha frente vi alguém a chorar timidamente, de olhos vermelhos.
ela não teve vergonha.