quarta-feira, dezembro 30, 2009

último de 2009

Este será o último post de 2009. Finalmente.

Bom 2010.

Brincar aos clássicos ( o melhor deixamos para último)

Não sei se ao longo desta rubrica tinha colocado aqueles que são a minha maior e melhor referência a nível de "desenhos animados". Praticamente não me lembro da minha pessoa sem que estes bonecos amarelos estivessem por perto e não fizessem parte do meu imaginário. O meu fascínio pelos Simpsons continua o mesmo desde há 20 anos atrás e guardo com a maior religiosidade a primeira temporada da série, que comprei à uns anos na Alemanha. Os bonecos, comparados com os de hoje em dia parecem gatafunhos de crianças. A magia continua a mesma.

E porque este ano festejamos o 20º aniversário da família mais exemplar do mundo, fecho esta rubrica com uma das minhas adaptações favoritas dos Simpsons ( das muitas que já foram feitas) : Simpsons as Family Adams.

Sherlock Holmes ou a nova versão do mesmo

Fui ver o Sherlock Holmes esta segunda-feira. Por várias razões : queria ir ao cinema, gosto de histórias de detectives, de policiais, o Sherlock é das minhas personagens favoritas, e porque o Jude Law entra no filme ( espera, esta razão não era para ser revelada.)

Pelo trailer rapidamente deduzimos que o realizador Guy Ritchie teve a amabilidade de pegar na muito nobre personagem de Sir Arthur Conan Doyle e dar-lhe uma achega de músculos, corridas, explosões e alguma porrada.
Está perdoado, e fez muito bem. Manteve o essencial da personagem ( e do seu companheiro Watson) e o que faz de Sherlock o mítico detective que todos conhecemos : a sua genialidade, capacidade lógica e de raciocínio de fazer inveja a qualquer um. Para além de nos fazer lembrar de que nem tudo o que parece é.

Os actores portam-se muito bem,o Robert Downey Jr muito competente, sendo que o vilão, uma boa personagem, merecia maior protagonismo. O argumento está afinado e de facto, o Guy Ritchie tem muito jeito para filmar. Sherlock Holmes está para além do filme básico pipoqueiro. Assim, numa palavra: impecável.

ps. percebi igualmente o jeito que dá ter uma boa biblioteca em casa : quando cheguei a casa peguei no livro de short stories que tenho do Sherlock Holmes para ler algumas páginas.

segunda-feira, dezembro 28, 2009

os portugueses são como as crianças

....porque não podem ver nada, que querem igual.
Neste Natal, no local onde passei esta quadra festiva, os vizinhos da frente tinham um cachorro com três mesitos. A raça qual era ? Exactamente, um cão de água português preto. Vá-se lá saber porquê e a que propósito.
O cão era fofo e eu própria perdi uns minutos a brincar com o tareco que era hiperactivo e não parava um segundo.

Num dos dias em que despertava do meu sono, e ao contrário do que é costume, em vez de ouvir os passarinhos ou o silêncio alentejano, ouvi :

- Obamaaaaaaaaaaaa anda cá! Obama anda cá!!!!
Exacto, esse era o nome do cão. Original, hein? E claro, nada previsível.

ps. um post para aligeirar o tom deste blog, porque olhando para os posts anteriores parece que só existe uma Kit Kat muito azeda.

deixo de ter o que responder

E a certa altura deixo de ter o que responder.
" Kit Kat, ele é um grande c*brão, porque é que eu gosto dele?" " Kit Kat, ele fez isto, isto e aquilo, o gajo é um grande c*brão" " sabes eu topo-lhe a pinta" " mas porque é que as mulheres gostam é dos c*brões?".
A certa altura deixo de conseguir responder às questões que as minhas amigas, conhecidas e todas as mulheres colocam em certas alturas da vida. Aptece-me baixar os braços e desistir de entender os comportamentos dos seres humanos do sexo masculino. E acredito que haja seres humanos do sexo masculino a pensar o mesmo do sexo feminino.

Sei lá. Não sei. Não faço ideia. Não sei porque é que as mulheres gostam dos c*brões. Porque é divertido. Porque é emocionante. Porque há histórias para contar às amigas. Porque pensamos que é connosco que eles mudam.
Eu sei lá porque é que as pessoas gostam de se envolver com que as faz sofrer ou que apresentam desde o início o índice mínimo de taxa de sucesso da relação. Porque queremos andar com a cabeça nas nuvens e por momentos, esquecer que nestes tempos ninguém está disposto a dar de si realmente. Queremos é andar a brincar aos affairs, aos sex buddies, aos casos, aos momentos bons.

Eu sei lá porque é que há gente que tem medo de dizer "não" e magoa os outros. Não faço ideia porque é que há gente que não se mete no seu lugar. Eu sei lá porque é que há homens que não têm " tomates" e mulheres que são cobardes e que se escondem.
Eu penso muito nisto.
E é por isso que baixei os braços, desistindo, e não quero saber.

Mas prometo que a próxima vez que me perguntarem o porquê eu me vá esforçar para ter uma resposta digna.

ps. um pedido de desculpas a quem está apaixonado e em romantic mode.

domingo, dezembro 27, 2009

ídolos 2009

Ontem, num programa caseiro, dei por mim a assistir quase pela primeira vez este ano aos Ídolos. Parece que hoje é só músicas do Michael Jackson. Acho que vou querer assistir.
Duas considerações :

1. Gostei, e entreti-me. Não gostei do Carlos, da Inês e também não vou muito à bola com o Filipe. Gostei da Catarina, da Carolina e do Salvador.

2. O apresentador tem um sorriso que eu gosto.

bye bye 2009

Que o ano de 2009 foi péssimo, sim, já todos sabemos.
O ano de 2010 será algo como "ou vai ou racha" ( isto é uma péssima expressão, mas na verdade não me lembrei de mais nenhuma adequada.)
É como se pressentisse que a minha vida e os outros esperem que eu vá dar o salto. Não sei que salto, mas um grande salto.
Porque 2009 foi como se tivesse caído das escadas, tivesse demorado o ano todo a subir as escadas que caí, e que em 2010 tivesse que recuperar o tempo perdido - sim, 2009 foi uma grande perca de tempo.
So a nível profissional não perdi tempo.

Em 2010 vai ser o dobro das escadas para subir.

pergunta retórica para 2010

E então, é este ano que vamos ter o Jonh Mayer a tocar no Coliseu dos Recreios ( e no Coliseu do Porto), em vez de termos a Ivete Sangalo pela 35º vez e os Metallica pela 50º vez?

quarta-feira, dezembro 23, 2009

Lisboa vs Porto

O Porto que fique com a trampa da corrida dos Aviõezinhos da Red Bull ( dá-te asaaAaAaAs) que nós ficaríamos mais agradados se, por exemplo, a fundação de Serralves se mudasse para Lisboa.
Isso era de valor.


Agora uns aviõezinhos. Uau.
Estão os portistas mais indignados que os lisboetas entusiasmados.

terça-feira, dezembro 22, 2009

hotclub

Tínhamos já apontado na agenda.
Dia 9 de janeiro, lá estaríamos para ver o quarteto do Mário Laginha. O sábado passado tínhamos estado no Onda Jazz, e por isso deixaríamos o HotClub para 2010.
E hoje, recebe-se assim a notícia, que o prédio do HotClub de Portugal, ali na praça da Alegria tinha ardido e que por consequência o clube de jazz ( um dos mais antigos do mundo) também fechará, e não se sabe até quando e para onde se mudará.

Causas do incêndio? Sabe-se lá - algum drogadito que se enfiou lá dentro, fumou o seu ( ou a sua) e as malditas cinzas....puf.
Os senhores com interesses imobiliários afiam as dentuças, esfregam as mãos para ver quem será o primeiro a deitar mão ao espaço que ali vai ficar depois de previsivelmente deitarem o prédio abaixo. Ali, em plena praça da Alegria que ainda não têm nenhum hotel de 5 estrelas ou habitação de luxo.

Quanto tempo demorará até que o HotClub possa renascer das cinzas?

segunda-feira, dezembro 21, 2009

O meu postal de Natal

Isto foi a minha tentativa de fazer um postal original de Natal, sob pressão, no museu Berardo este fim de semana. Este postal é em co-autoria com a Joana Vasconcelos - foi ela que desenhou as figuras que podem ver na imagem.( e nós utilizamos os carimbos)

Assim, este ano há um diferente e mui artístico FELIZ NATAL neste blog.
Boas Festas!

sábado, dezembro 19, 2009

estado de espírito

em tempos natalícios, de deixar para trás o mal-amado ano de 2009, de esperar por 2010, ainda a ressacar dos 25 anos feitos, sinto-me com um verdadeiro espírito natalício, tranquila e descansada com a minha consciência. alguns acontecimentos recentes fizeram alavancar este espírito. faço pequenos planos para o meu futuro, ambiciono algumas coisas que há uns meses não fariam sentido, sinto-me às vezes até mais adulta. sinto que afinal, posso fazer tudo o que estiver ao meu alcance.
amanhã vou estar a fazer uma animação no fim de semana dos sem-abrigo, para a semana vou entrar de férias. a minha agenda continua a abarrotar, e infelizmente, o meu treino de piano anda a ficar para trás, agora que tenho o let it be para aprender. tanta coisa na cabeça, sempre. não sei como arranjo energia para tanta coisa.
hoje, vou dispensar a minha "saturday night fever" e vou enfrentar o frio de lisboa apenas para um programa tranquilo.

ps. tenho saudades de namorar.

home cinema

Em tempos de rever os melhores filmes de 2009, eu, que pouco fui ao cinema este ano ( talvez seja uma promessa a cumprir a mim mesma para o próximo ano) tenho estado a ver e a rever alguns clássicos do cinema.

Revi o Batman. O primeiro, realizado por Tim Burton, com o Michael Keaton, que eu continuo a considerar o melhor Batman ( sim, melhor que o Christian Bale) e um joker fabulosamente interpretado pelo Jack Nicholson. Bem sei que na memória está mais fresquinho o joker do Heath Ledger, mas eu reitero o que sempre disse : o Heath Ledger fez um trabalho gigantesco, mas eu continuo a preferir o original.
Resumindo : eu sou uma super fã do Batman. E sou super fã deste primeiro filme. Dispenso facilmente todos os outros filmes baseados na banda desenhada, excluindo o homem-morcego.

Vi pela primeira vez o " Nascido a Quatro de Julho", do Oliver Stone, com o Tom Cruise. Aprovadissímo.
Vale a pena para reflectirmos sobre os porquês da guerra, e dos supostos heróis da guerra. Heróis? E vale a pena para ter certeza que de facto, o Tom Cruise é um actor dos grandes. Mesmo que se tenha perdido nos últimos anos nos escandalos da sua vida pessoal, religiosa, e por aí fora.
O revivalismo cinematográfico vai continuar.

quinta-feira, dezembro 17, 2009

5f à noite

Leva-me ao Hot Club e vamos ouvir jazz.
Convida-me para irmos passar três dias a uma cidade europeia, como Berlim ou Budapeste.
Leva-me a jantar de surpresa ao sushi.
Convida-me para irmos àquele bar que mais ninguém conhece.
Envia-me uma sms de bom dia e boa noite todos os dias.
Convida-me para irmos ao cinema sexta-feira à noite e para irmos ao bairro sábado à noite.
Prepara um lanche simpático para um domingo à tarde.
Oferece-me um cd qualquer que aches bom.
Oferece-me um cd com as músicas que mais gostas.
Leva-me a ver aquele museu que ainda não fui ou àquela exposição que deve ser interessante.
Liga-me às 3h da manhã porque é a hora que te deitas.
Mostra-me o teu brinquedo favorito de quando eras criança.
Vem esperar-me na Avenida com um copo de starbucks na mão.
Leva-me a passar o fim de semana à costa Alentejana.
Convida-me para passarmos uma noite de 5º feira no sofá só a dizer disparates.
Liga-me a dizeres que estás prestes a bater no chefe.
Olha-me nos olhos quando me vês.
Lembra-te de mim sempre.

Men are not nice guys ( último de 2009)

Já em jeito de balanço, e para finalizar o ano de 2009 - e a pedido de variadíssimas famílias, fechamos este ano a rubrica com :

Jude Law

Aguardam-se propostas para abrir as hostilidades em 2010.

frio

Este frio é insuportável.
Estes dias e estas noites de frio fazem-me saudades de algumas coisas.

Chega Dezembro e fico assim, feliz e nostálgica.

comuna

Na semana passada recebi uma notícia que me deixou...feliz.
Para o ano, o próximo palco a pisar vai ser o Teatro da Comuna. E não vai ser para brincar às festas dos anos 80 que por lá acontecem.
Eu que estive quase para não regressar ao teatro, dou-me a braços com uma personagem que não me vai obrigar a decorar muito texto, mas que me obriga a fazer uma pesquisa interior gigante, porque interpreto algo que não existe enquanto pessoa, é abstracto.
Em Fevereiro mudamo-nos com os ensaios para lá. E vai ser tão recompensador fazer ali as " Bodas de Sangue" do Garcia Llorca.

anda cá que te dou uma dentadinha

Após ter perdido a cabeça e ter decidido ver o " Crepúsculo", para saber de que fenómenos estariamos a assistir, e de ter me ter rido um pouco com o vampiro jeitoso e de olhar profundo ficar com a pele dourada quando está ao sol ( lembrei-me que talvez eles utilizassem aquele creme da Nivea que também põe a pele brilhante quando estamos ao sol) lembrei-me que um dos meus livros favoritos é o Drácula do Bram Stoker.
E após esse momento, lembrei-me que o Coppola fez uma adaptação brilhante do livro. E decidi-me a rever o filme, nesta febre vampiresca que vivemos.
Tinha-me esquecido que o filme é ligeiramente violento, e que o Gary Oldman faz um Drácula fantástico. Mas não me tinha esquecido que era um excelente filme, e que o Drácula é, uma história de amor.

Os vampiros são sempre figuras fantásticas, que apesar de andarem às dentadinhas para retirar sangue do nosso corpo e serem criaturas maléficas, serão sempre conotadas com um lado mais sexy e foram criados para serem "irresistíveis" aos olhares dos humanos.
Não é inocente o local preferencial da mordidela ser no pescoço.

Após ver o Crepúsculo, o que mais deve haver aí é adolescentes com ansias de conhecer um vampiro sexy e de olhar profundo a dar-lhes uma mordidela no pescoço.
Antes, esperavámos por um princípe encantado no cavalo para nos salvar. Agora é um vampirinho para morder-nos o pescoço.

Os tempos mudam, as vontades mantêm-se.

domingo, dezembro 13, 2009

porque é domingo à noite

Não nos encontrávamos há meses.
Vimo-nos naquela festa, no local que sempre frequentámos.
Aproveitaste-te desse encontro, e sugeriste irmos aquele bar. Fiz cara feia quando recebi o convite, mas era tentador.
Quando cheguei, já lá estavas, encostado à cadeira, a fumar o cigarro. Quem te olhasse via-te relaxado. Eu olhei-te e vi-te ansioso.

Não me apteceu esperar e ainda a tirar o casaco e a pô-lo nas costas da cadeira e enquanto tu me observavas mílimetro por mílimetro disse :

- Isto serve para quê?
- Boa noite. Isto o quê?
- Este café.
- Para falarmos. Não falamos há muitos meses.
- Ela deixou-te, eu sei.
- Sabe-se tudo na puta desta cidade.
- Já devias saber que sim. E combinaste o café para me desabafares do desgosto amoroso? Não sou toda ouvidos.
- Não.

Continuavas igual.

- Volta para mim.
- Nunca estive contigo, como podia voltar para ti?
- Namora comigo.
- Deixa-me rir.
- Ela deixou-me porque sabe o que sinto. Nunca lhe escondi. És tu. És tu.
- Temos pena. Não resulta. Eu e tu. Já sabes.
- Tentei esquecer-me do sabor dos teus beijos. Não consegui. E agora que estás à minha frente, essa memória está mais viva que nunca.
- Eu esqueci-me dos teus beijos.
- Mentirosa, és tão mentirosa. Vamos lá para fora e vou-te beijar.

O que eu mais queria era realmente beijar-te.

- Esquece. Pensei que este café fosse sobre outra coisa, mas enganei-me.
Como és capaz de dizer essas coisas?
- Porque gosto de ti.
- Mentiroso, és tão mentiroso.

Levantaste-te e foste à casa de banho. Eu olhei para o teu maço de tabaco, tirei um cigarro e deixei a marca dos meus lábios no cigarro.

Guardei o cigarro de novo no maço.

Quando voltaste, disse-te:
- Vou-me embora.
- Não vais.
- Vou. Não tenho que estar contigo.

No dia seguinte, quando tiraste aquele cigarro, ligaste-me. Eu atendi.


obrigado às meninas que me inspiraram para este post.

sexta-feira, dezembro 11, 2009

aniversário

10 de Dezembro.
Primeiras três letras da palavra de Dezembro - Dez.
Um quarto de século.
Uma vida preenchida, e ainda tanto por preencher.

what a gift

Em dia do meu aniversário, portaram-se bem.

Gostei muito.
E fiquei com a ideia que a intensidade daquelas músicas são ideais como fantástica banda sonora para uma declaração arrebatada de amor. Assim, daquelas inesquecíveis, daquelas viscerais, daquelas como deve ser.
Porque o amor não é lamechas, o amor é poderoso.

The Editors

domingo, dezembro 06, 2009

Pai Natal surreal

Se tivesse de fazer uma lista de prendas de Natal imaginária, eu pedia :

1. Piano de Cauda

2.Uma Wii para brincar e uma Playstation para brincar ao Dj Hero, ao Guitar Hero e ao Band Hero e todos os outros acabados em Hero



3. Crédito Ilimitado em compras na Fnac



e se me lembrar de mais alguma coisa, ainda estou a tempo de pedir.

sábado, dezembro 05, 2009

está para breve

A minha cabeça anda sempre a mil.
E não são raras vezes que me sinto esgotada. Ainda assim, serve para resultar em decisões acertadas, e em fazer o certo.

Esta cabeça só pensa, e o coração não sente. Muita racionalidade, pouca emoção.

quinta-feira, dezembro 03, 2009

Super Bock em Stock

No ano passado não fui ao SuperBock em Stock, e este ano provavelmente também nao irei. Falta de companhia, de incentivo, talvez. Adiante ao que interessa.

Este conceito do SuperBock em Stock merece ser apreciado e distinguido. Esquecer que só no Verão é que temos direitos a mega-festivais de massas, popularuchos, de campo, com o ramalhal todo de Lisboa e arredores a deslocarem-se para uns kilómetros abaixo ou acima.
Muitos cartazes só para encher chouriço, e outros festivais que não têm sentido nenhum : este Verão assistiu-se a um proliferação de festivais pelo país. Havia o festival de tudo. Ganhou-se dinamização cultural em pontos do país mais desfavorecidos mas banalizou-se o conceito de festival, como antes o conhecíamos.

O SBST é um excelente festival de "Inverno", e que vai (muito acertadamente e cheio de propósito) ao coração de Lisboa, em plena avenida nobre de Lisboa - Avenida de Liberdade, que tanto precisa de ser dinamizada. Não lhe chega ser a avenida mais cara ou mais chique da cidade. Está ali ao lado do Bairro Alto, e precisa de ter motivos para "enfrentar" a movida que o Bairro tem.
Argumentos não lhe podem faltar : Maxime, São Jorge, Tivoli , até o LA Caffé (gostava de ver um concerto neste espaço) são escolhas acertadas.

Não conheço a maior parte das bandas e dos artistas que lá vão tocar, mas não deixa de ser um festival muito, muito aptecível, e um coelho muitissímo bem tirado da cartola pela Música no Coração.(que viu o seu SuperBock SuperRock apagadinho pelo Alive.)
Valerá muito a pena, sem dúvida, e estará de certeza, para durar.

Lisboa ( e o seu público) tem um potencial gigante, sem precisar de ter vergonha das grandes capitais europeias e continuamos à espera de gente que se aperceba disto.

franz ferdinand me

A propósito do concerto de ontem, queria agradecer a injecção de adrenalina que a música desta malta me provoca.
Queria também fazer uma ode ao Alex Kapranos.... ah não posso? Isso são coisas de gruppie em modo histérico?
Ok.

terça-feira, dezembro 01, 2009

Men are not nice guys ( em antecipação para amanhã)

Alex Kapranos
( Franz Ferdinand)

as chaves

Ontem saí de casa pela tarde com uma data de compromissos por resolver.
Um pequeno percalço, como perder as chaves ( sei lá como as perdi), desatinou-me. Desatinou-me. E não consegui cumprir com todos os compromissos que me tinha prometido. Todas estas pequenas coisas têm-me acontecido nos últimos tempos. E parece que às vezes as coisas fogem absoltamente do meu controlo. E é exactamente isto que me tem posto maluca, e com a cabeça a andar às voltas,desconcentrada e perdida no meio de tantas questões que me tenho colocado.
Amigos, a Kit Kat teve um 2009 de m*rda como se pode perceber pela leitura deste blog e está ansiosa que o mesmo termine. Faltam 30 dias. Deus é Grande.

Apesar de completamente desatinada e frustrada, decidi manter a cabeça fria, peguei no carro, dirigi-me até ao Metro e vinte minutos depois e eis-me a entrar no café Vertigo,no Carmo, pronta para degustar uma maravilhosa fatia de um dos melhores bolos de chocolate alguma vez degustados e um chá vermelho sugerido pela simpática rapariga do bar.
No dia em que me quiserem engatar, levem-me a comer aquele bolo de chocolate.

Aproveitei para por a escrita em dia ( e fartei-me de escrever), e tranquilamente deixei de estar fula comigo própria. Soube-me bem estar ali sozinha.
É uma m*rda perder as chaves, mas não é o fim do mundo. Deu-se um click na minha cabeça naquele momento. Estou de facto, muito cansada de certos rumos que a minha vida tomou e sei que são eles que também prejudicam, mas percebi o que pode ou não estar realmente nas minhas mãos. Está tudo.
As decisões que nós decidimos tomar, são SEMPRE, em última instância, as que mais influenciam o caminho que percorremos, e não os factores externos.
Sim, eu estou muito cansada, desgastada, fartinha, mas cabe-me a mim quebrar o ciclo.

Depois do bolo de chocolate segui para o piano e para as aulas de teatro.
Acabei a noite bem.
E hoje despertei bem para um maravilhoso mês de Dezembro que se avizinha.

domingo, novembro 29, 2009

fitas

Ainda por causa das arrumações limpei o pó das fitas " abençoadas" quando terminada a faculdade.
Não dei uma volta completa por todas as fitas, mas li coisas que merecem ser aqui escritas e partilhadas, porque é com os meus amigos que eu sou feliz.
Alguns de vocês estão nestas frases... se forem capazes advinhem quais são as vossas!
Há tantas mais por escrever : em breve serão escritas. Malditos domingos nostálgicos que fazem da Kit Kat uma miuda mais sensível.

" E pronto, o curso está a acabar e foram 4 anos bem passados. Sempre na companhia um do outro que é assim que estamos bem! Espero principalmente é que a nossa amizade não acabe , mesmo com todas as discussões que adoramos ter! És grande!"

"Para a Kit Kat:
do olhar atento
do esntusiasmo contido
A simpatia
A discrião
A presença confiante"

"1 - mau comportamento
2- risota constante
3- corte e costura
4- cábulas
5- ui..suspiros
6- gajos, homens e etc
7 - professores
8- chocolates
9- suspiros outra x
10 - Amanha há mais
isto é um resumo da tua companhia durante os anos da faculdade...."

"Ainda me lembro de ir com o ... à UCP e ver para lá uma colega dele toda fashion ( não parecia era muito simpática! que eras tu!)"

"Juro-te que não é por estar a assinar a tua fita mas sempre achei que és das pessoas que irás mais longe"

"alguém de quem gosto muito...capaz de captar a atenção de qualquer pessoa por tudo aquilo que é. pura e sincera. assim sendo, deixo-te um beijinho do fundo do coração esperando que continuemos o nosso caminho para o dominio do inferno"

"Gosto tanto de ti miúda ! Quanto te conheci nunca imaginei que ganhasses a importância e o relevo que tens na minha vida!"

"Gostava que nunca saisses da minha vida que possamos ficar sempre por perto para ver aquilo que eu vou ser e para veres como a tua presença na minha vida faz de mim uma pessoa melhor!"

eu nasci para a música



Hoje, numas arrumações de domingo apercebi-me que realmente nasci para a música e para as teclas.
Descobri esta preciosidade que está na fotografia. Um mini-nano teclado da Casio, que terá, segundo os meus pais, entre os seus 15/20 anos e que me foi trazido de um familiar do estrangeiro.
Era eu uma petiz e já sabia que queria ser pianista. Com a extrema qualidade de som que este potente casio deverá ter ( ainda não pus as pilhas para ver se ainda funciona) e com a cábula que fiz - escrever a acetato azul as notas nas teclas, creio que já não preciso de comprar nenhum piano.
Quando for grande e for uma grande pianista, vou vender este casio em leilão com o desígnio " o primeiro piano da Kit Kat".

Que maravilha.

sexta-feira, novembro 27, 2009

fim de semana

Chega o fim de semana, libertamos o stress dos 5 dias de trabalho.
Os fins de semana são como as vacas na Índia : sagrados.

quinta-feira, novembro 26, 2009

pai natal

Olá Pai Natal.
Este ano decidi escrever-te um pouco mais cedo. Bom, afinal de contas já não falta assim tanto para a noite em que pões a trouxa às costas e galgas o mundo inteiro a distribuir prendas por tudo quanto é chaminé.

Este ano queria pedir-te um presentinho. Não vai caber na tua trouxa, porque é muito grande.
Este ano não quero umas calças, um vestido bonito, um relógio ( bom, um relógio aceito) um dvd ou um livro, ou um acessório para o ipod. Este ano não quero nada material. E o que não é material cabe na tua trouxa?
Este ano, mais do que nunca, vou perceber o que é viver o espírito do Natal sem o espírito consumista.
Claro que se houver um presentinho na meia vermelha pendurada na chaminé eu não vou deita-la para o lixo, mas quero que saibas, que nada de material e físico me vai fazer transbordar de felicidade.
O meu presentinho este ano é só para a alma.

Se não me trouxeres o que eu quero,não me zango, mas vou ficar ao pé da chaminé à tua espera. Vai ser este ano que vou descobrir se realmente existes ou não.

quarta-feira, novembro 25, 2009

1965

Acabei de comprar o livro que tem a seguinte data : 8/3/65.
Sim, 65. 1-9-6-5.
E para além da data, tem escrito na primeira página o nome do dono, que vou manter em anonimato. Antes as pessoas tinham muito a mania de escrever ou assinar o nome na primeira página do livro.

Eu não faço isso aos meus, mas agora que tenho um assinado, acho alguma piada. Ainda por cima quando é um livro de 1965.

domingo, novembro 22, 2009

bonsai

Ainda não tinha tido a oportunidade de mostrar o meu bonsai, que me foi oferecido no mês passado.
Ao ínicio temi que nem se fosse aguentar um mês, porque as folhas começaram as folhas todas a cair.
Quando criei um rotina de rega e de realmente cuidar dele ( estas plantas tem um feitio difícil) ficou verdelhudo e com muitas florzinhas e folhas a nascer.
Esta planta, deu-me oxigénio. E ainda tem oxigénio para viver bonita.

é domingo. por isso...

I told you to be patient
I told you to be fine
I told you to be balanced
I told you to be kind
In the morning I'll be with you
But it will be a different "kind"

Skinny Love, Bon Iver

raio do homem que não consegue ter músicas más. Ainda me lembro de quando a S. me falou deste senhor.
e depois, quando temos estes domingos, não sabemos resistir a estas músicas. Terei sido paciente o suficiente?
a pergunta paira-me na cabeça.

quinta-feira, novembro 19, 2009

engate barato

- o sexo devia ser obrigatório e prescrito em receita médica.
- concordo. Posso passar-te uma receita?

quarta-feira, novembro 18, 2009

domingo, novembro 15, 2009

eternal sunshine of the spotless mind

Eternal sunshine of the spotless mind.

Conheço muita gente que gosta deste filme. Não é díficil gostar-se dele.
Às vezes, em certos dias, desejava profundamente que também eu me pudesse dirigir a uma engenhoca qualquer, e pudesse escolher criteriosamente algumas memórias para apagar, e nunca mais me lembrar. As pessoas a quem eu já confessei isto, normalmente chocam-se porque dizem que todas as experiências e memórias são para guardar e para servir de conhecimento. É verdade.
Mas há dias em que aptecia mesmo apagar essas memórias.


sábado, novembro 14, 2009

brincar com o fogo

Quantas vezes sabemos que brincar com o fogo...é arriscado? E quantas vezes nos avisam disso, e temos isso na cabeça?
A vida toda, a toda a hora.
E quantas vezes mesmo assim gostamos de arriscar?
A têndencia para o proibido é um instinto humano f*dido.

sexta-feira, novembro 13, 2009

Carrossel

Não sei muito bem explicar de onde é que me apareceu esta ideia, mas ultimamente tenho tido a vontade de comprar um mini-carrossel que se vê à venda, uma peça toda gira para decorar a prateleira lá do quarto.
Ontem, ao ver uma reportagem francamente boa da SIC ( gostei muito do formato de saltarem de história em história com uma ligação entre elas – que era a viagem) apareceu uma senhora que trabalhava em feiras, e por trás aparecia um carrossel. Falava a senhora que gente de todas as idades andavam no carrossel.

Foi quando me apercebi que tinha saudades de coisas como a Feira Popular, cheia dessas distracções. Montanhas Russas ( quando era criança tinha medo e não queria andar), casas do terror (também tinha medo e nunca entrei em nenhuma, e sou uma pessoa menos feliz por isso) carrinhos de choque, rodas gigantes e carrosseis. Carrosséis com cavalos,com barcos, carros, lagartas, outros animais, com chávenas de café...

O Carrossel faz a viagem sem sair do local. Dá muitas voltinhas, e tem música.
É divetido, e até, digamos, romântico. Todo aquele ambiente de feira, à noite, com crianças a correrem, famílias inteiras, músicas altas disparatadas, desenhos estranhos pintados nas diversões,pipocas, massa frita,parece propício a uma boa companhia e conversa. E claro, um desafio a andar de carrossel. Com a multidão a rodear.

need no words

Um muito obrigada.

quinta-feira, novembro 12, 2009

i could say

Since you've gone I've lost a chip on my shoulder,
Since you've gone I feel like I've gotten older,
And now you've gone it feels as if the whole wide world is my stage
And now you've gone it's like I've been let out of my cage,

(...)
And everything was always about being cool,
And now I've come to realise there's nothing cool about you at all,



Lilly Allen, I could say

quarta-feira, novembro 11, 2009

pianisticamente falando ( continuum)

E assim, de mansinho, pego nos acordes que começo a aprender e a decorar. A mão esquerda, ainda timidamente, faz os acordes sobre as teclas do piano. Depois de um curto treino, dói, porque ainda está tensa. A mão direita, faz a harmonia, numa improvisação absolutamente básica, mas que soa bem. A mão direita já nunca está tensa, e já desliza pelas teclas sem que me concentre nela.

Uma qualquer improvisação no piano soa bem. Sempre. Mesmo para quem está a dar os primeiros passos.
Quase que dá vontade de pegar numa pauta vazia, e compor uma pequena melodia. Com os acordes já sabidos, já se pode construir algo. Com clave de sol, com clave de fá.

Acordes em estado fundamental. Foi a última coisa que aprendi.

segunda-feira, novembro 09, 2009

Men are not nice guys

George Clooney

( desta vez não me importo que me chamem de previsivel.
Aceitam-se sugestões para os proximos men are not nice guys.)

quinta-feira, novembro 05, 2009

uma tentativa

Quero um bilhete para ir ver os Muse.
Quem passar por aqui e queira fazer-me feliz....fico à espera.

O Bryan Adams faz 50 anos

Nunca deve ter sido revelado neste blog que o Bryan Adams é o meu cantor/ídolo de adolescente. Deve ter tudo começado com os meus 14/15 anos. Ouvia os cds repetidamente, cantava as músicas de trás para a frente (normalmente é mais vice-versa) e viajava no romantismo de algumas das suas músicas.

Bom, hoje continua basicamente o mesmo. Menos ouvir os cds muito frequentemente e viajar no romantismo. Vá, viajo pouco. Só de vez em quando. Eu sou, na maior parte da minha vida, uma rapariga pouco romântica.
Quando ouço as suas músicas, há aqui dentro alguma emoção, que continua a mesma como se tivesse 15 anos. Kit Kat, não te julgava tão pirosa, toda emocionada quando ouves Bryan Adams - pensa quem lê este post. E pensa bem.
Posso aproveitar para dizer que devo ser a única pessoa neste mundo que não gosta muito do" Everything I do, I do it for you". Parece-me uma das poucas músicas aborrecidas deste senhor.

Um dos momentos que mais gosto de recordar é o concerto que deu em 2004 ( se não me falha a memória) em Fevereiro no Pavilhão Atlântico. Foi o culminar de toda uma adolescência.
Foi uma grande loucura. Pavilhão a abarrotar, gente de todas as idades, três horas a cantar (literalmente) todas as músicas, tipo best of. Só faltou o Please, forgive me. E faltou-me a voz no dia seguinte também.

O Bryan Adams hoje faz 50 anos. Como é que eu não poderia assinalar esta data ?

It cuts like a knife, but it feels so right.

terça-feira, novembro 03, 2009

o quê pá?

Aguardava a minha companhia para almoçar, encostadinha e a ler um livrinho, para fingir que não estava a ver o tempo a passar.
A companhia chega e exclama : Epá, és mesmo ministra da cultura!

objecto do dia

Os óculos.

segunda-feira, novembro 02, 2009

Se eu fosse uma música

Adoro pá, adoro.

Comentário

Por favor alguém nos salve dos anúncios do Pingo Doce.
Que porcaria é aquela " Hà 6 meses eu chamava-me António bla bla e Silva, hoje chamo-me António bla bla e Silva, daqui a 6 meses vou chamar-me António bla bla e Silva ; há coisas que nunca mudam como os preços do Pingo Doce..."

NÃO QUERO MAIS IR AO PINGO DOCE FAZER COMPRAS.

sábado, outubro 31, 2009

Brincar aos clássicos

Astérix faz 50 anos.
Parabéns.

Apenas Hitchcock

Já aqui alguma vez tinha falado deste senhor?
Mestre do suspense. Os seus filmes são verdadeiras obras-primas : seja pela sua técnica seja pelos seus argumentos. Situações que podiam acontecer a qualquer um de nós, mas pelo sim, pelo não, até seria melhor que não acontecessem.
A suspeita, a morte, o desaparecimento estão sempre por perto, sem que haja sangue, corpos desmembrados ou cabeças a rolar. A verdadeira tensão acumula-se, porque a qualquer momento, sabemos que alguma coisa vai acontecer. E normalmente, nao é muito agradável.
Vi à pouco tempo a Janela Indiscreta e o Homem que sabia demais. Brilhante.
E não me posso esquecer da Corda que é filmada num só plano, e ao que dizem, num só take. E também é dificil de esquecer a cena final " Os Pássaros" ou o último olhar da personagem do Psycho.

Ser genial, é só para quem pode. Este pode. Mesmo depois de desaparecer, continua a poder.

perdoem-me a insolência : mas quem nunca viu um filme deste senhor, não sabe o que é cinema.

sexta-feira, outubro 30, 2009

pensamentos

perdida por 100, perdida por 1000.
um dia perco mesmo a cabeça, e viro tudo ao contrário.

quarta-feira, outubro 28, 2009

tou-te a ver

pequeno apontamento :
não dava nada por este miúdo, e inclusive achava-o irritantezinho.
mas pelos vistos, vai ser menino para chegar bem longe. A Kit Kat tem olho para estas coisas.

e no outro dia olhei melhor para a fotografia dele, e afinal, até tem um sorriso bonito.

Código do Trabalho

Reproduzo o texto que se encontra no site de empregos de comunicação - Carga de Trabalhos.


Após bastante consideração, o Carga de Trabalhos decidiu mudar a sua política de publicação de anúncios, passando a rejeitar todos os anúncios nos quais figurem propostas que, segundo o Código do Trabalho em vigor, possam ser consideradas ilegais ou suspeitas.

Ainda que acreditemos na liberdade e responsabilidade individual dos cidadãos e na boa conduta e responsabilidade social das empresas e empresários portugueses, ao longo dos últimos tempos temos detectado um número crescente de ofertas que indiciam algum desconhecimento do direito do trabalho ou das normas do Instituto de Emprego e Formação Profissional e que têm valido ao Carga de Trabalhos várias reclamações e até alguma desconfiança, que coloca em causa o nosso trabalho em prol dos profissionais da área da comunicação.

Assim, lembramos que à luz do Código do Trabalho e de acordo com a opinião de vários especialistas na matéria, entre os quais o Dr. Garcia Pereira, os chamados estágios não-remunerados ou estágios com "ajudas de custo" são claramente ilegais, por constituírem, segundo a legislação, um verdadeiro e próprio Contrato de Trabalho.

Legalmente, todas as relações laborais nas quais exista local e horário de trabalho e em que o trabalhador reporte directamente a uma hierarquia/chefia são automaticamente consideradas contratos de trabalho e são dessa forma obrigados a cumprir vários requisitos legais, como a remuneração no valor igual ou superior ao Salário Mínimo Nacional em vigor, pagamento de Segurança Social e Imposto sobre o Rendimento Singular relativo ao trabalhador, além de 13º e 14º mês (subsídio de férias e de Natal). Lembramos também que para existir um Contrato de Trabalho Sem Termo (ou seja, efectivo ou permanente), não é obrigatório um documento assinado, sendo que esse existe apenas com acordo verbal das duas partes.

Da mesma forma, uma relação laboral com base nestes pressuposto nunca poderá ser remunerada através de Recibos Verdes, visto que estes se destinam à Prestação de Serviços por profissionais liberais ou trabalhadores por conta própria, que trabalham com autonomia, definem o seu próprio local e horário de trabalho, estando apenas obrigados a cumprir os prazos e condições fixados pela empresa, a qual, neste caso, é legalmente considerada cliente e não entidade empregadora.

Alertamos ainda que os indivíduos que, no âmbito de uma situação de Contrato de Trabalho, sejam remunerados com Recibos Verdes, podem a qualquer momento fazer denúncia da sua situação à Autoridade para as Condições de Trabalho, que poderá proceder à inspecção na empresa denunciada, podendo, além de obrigar ao pagamento de todas as contribuições e subsídios devidos ao trabalhador, autuar a entidade empregadora por incumprimento do Código do Trabalho.

Em relação aos estágios do IEFP, nomeadamente os estágios INOV-Jovem, lembramos que o regulamento dos mesmos determina que o candidato a estagiário não pode ter qualquer relação laboral prévia com a empresa aprovada para oferecer o estágio. O não cumprimento desta norma determina que a entidade empregadora em causa seja imediatamente excluída desta e de qualquer outra medida de apoio ao emprego ou formação do IEFP, podendo ainda ser activado um processo cível contra o infractor.

Recordamos também que os estágios denominados curriculares, não representando legalmente uma relação laboral mas sim uma etapa do processo formativo, só podem ser realizados mediante protocolo assinado entre a entidade empregadora e a entidade formadora, que designe um coordenador de estágio para acompanhar o formando. Qualquer estágio não protocolado não pode ser considerado curricular, constituindo mais uma vez uma situação de Contrato de Trabalho e tendo de respeitar os requisitos acima enunciados.

Por último, esclarecemos que os anúncios de emprego não podem discriminar os candidatos, seja pela idade, sexo, raça ou outros, podendo apenas diferenciar em relação à qualificação e conhecimentos necessários ou desejados ao desempenho da função anunciada.

O Carga de Trabalhos recusará, sem necessidade de qualquer outro esclarecimento, todos os anúncios que não respeitem um ou mais dos pontos atrás referidos, recusando qualquer responsabilidade factual ou moral em relação a eventuais incumprimentos por parte das entidades empregadoras.

Com os melhores cumprimentos,
Carga de Trabalhos

Código do Trabalho
Portaria que regulamenta os estágios INOV-Jovem

terça-feira, outubro 27, 2009

anúncio #2

procura-se namorado/ companheiro/ lover/ affair apenas com disponibilidade aos sábados e domingos.

anúncio

Precisa-se de professor particular de piano.
Há por aí algum?

segunda-feira, outubro 26, 2009

hmmm

aptece-me petiscar.mas não arriscar.

m*rda.

um beijinho repenicado

Aos meus ONZE seguidores.
eu juro que me emociono.

e a todos os outros não identificados.

manhã submersa


Hoje de manhã quando peguei no carro e me deparei com o nevoeiro que estava foi esta música que me apteceu cantar.
Estava uma manhã brutal, e é por isso que o dia vai correr bem, e a semana igualmente.

sábado, outubro 24, 2009

está escrito lá em cima?

Qual de nós nunca pensou no destino?

Qual de nós nunca pensou, ainda que por breves momentos, nesse conceito de destino, de cada um já ter uma vida pré-definida, mesmo que possamos considerar que estamos a fazer as nossas escolhas, e portanto, não tenhamos nada pré-definido.Quem nos garante que não estava já previsto nós acharmos que somos livres e tomarmos as decisoes que quisermos ? E que essas decisões "livres" também já estivessem previstas ?
Não há resposta concreta a esta pergunta.

Tantas vezes que acontece dizermos ou ouvir dizer "isto parecia o destino" "estavam destinados um para o outro" "isto estava destinado a acontecer-me" "o que tem de ser tem muita força" "a minha hora vai chegar". Nestas e noutras expressões o conceito de destino está presente, porque acontecem coisas que nos fazem pensar. Pensar que temos um rumo já definido ( que já está lá tudo em cima escrito e nós só vamos à medida que vivemos desenrolado o rolo onde a nossa vida está desenhada) assusta, porque nos sentimos limitados por uma qualquer força exterior e que nada está a depender de nós.
Por outro lado, sem nunca ter a certeza deste determinismo, podemos continuar a controlar a nossa vida, decidir o que quisermos e ser felizes da vida.A não-resposta a esta questão dá-nos a liberdade de pensarmos como bem entendermos.

A filosofia determinista opõe-se por isso ao livre arbítrio.
Eu diria que dentro da ignorância do determinismo (ou não) temos o nosso ignorante(ou não) livre arbítrio.
Eu acredito um bocadinho ( sim, acredito...) no Destino e no determinismo.

Este era o post que eu falava quando falei do RAP e do livro que ele apresentava.
E apteceu-me escreve-lo a um sábado de manhã.

saturday morning

sexta-feira, outubro 23, 2009

hoje

hoje é um belissímo dia para... ser o primeiro dia do resto da minha vida.
Ainda por cima é sexta-feira, o que dá imenso jeito.

quarta-feira, outubro 21, 2009

hoje estou romântica

está uma noite de chuva absolutamente fantástica.
eu sentei-me ao computador, pertinho da janela para ver a noite escura e a chuva a cair. está uma noite linda.

aptece-me mesmo estar aqui, onde estou. aptece-me exactamente estar a escrever e a ouvir a voz do caetano veloso. quando cheguei a casa cansada do trabalho pensei que hoje estava um dia romântico, ou melhor, uma noite romântica.
e de repente, deu-me uma saudade do que sentia quando tinha outro estado civil, e tinha uma companhia para poder partilhar uma noite destas. Simplesmente, ter uma companhia.
não há uma única ponta de mágoa neste texto e sentimento, apenas imaginei o que seria partilhar com alguém esta noite, até porque o romantismo é uma coisa muito bonita.

Eu sinto-me igualmente confortável aqui no meu cantinho, com os dedos nas teclas, a deixar voar os pensamentos. hoje estou romântica, só isso. é um direito ao qual não pretendo renunciar mesmo que solteira.

uma bonita expressão para usar hoje

isto anda bonito, anda.

terça-feira, outubro 20, 2009

Drama

Estou num Grandessissississimo drama existencial.
Passo a explicar :

A minha viatura está na oficina, doente, e até agora ainda não sei de que mal padece.
E eu sinto-lhe a falta. E percebi que sou completamente dependente do meu MJ.

VOLTA RÁPIDO!

segunda-feira, outubro 19, 2009

trabalhar na diversidade

fartei-me de trabalhar nos últimos dias.
mas, valeu a pena. Até o meu espírito ficou rejuvenescido.


O conceito de Diversidade é muito bonito, e muito pertinente.
Foi bom descobrir isso em 4 longos dias. Seria aborrecido homens e mulheres serem todos iguais.

domingo, outubro 18, 2009

RAP

Tive, por estes dias, a oportunidade de apanhar já quase no final, uma sessão de lançamento de um livro na FNAC com o Ricardo Araújo Pereira.
Como estava sem pressa, parei e decidi escuta-lo.
Confirmou-se : apesar das figurinhas todas que já nos habituámos a vê-lo fazer, é na realidade um tipo intelectualíssimo, discreto ( e tímido) bom falador, boa pinta e claro, captador de massas.
Durante os 15m que o ouvi falar até me senti constrangida : fala de literatura com uma segurança e um conhecimento absolutamente fantástico. Aquele é o mundo dele, claramente.
Muitas referências literárias que ele fazia eu desconhecia, e à medida que ele continuava a falar, eu pensava " Kit Kat, tu andas a milhas..."
Percebeu-se a avidez com que falava quando no fim confessou " Vocês nem sabem o quão refrescante é não ter apenas que falar de política!"

Para quem acompanha este blog, e/ ou me conhece, sabe que um homem alto, moreno e de camisa tem algum efeito.
Ora, o Ricardo Araújo Pereira é alto, moreno e usava camisa nesse dia. Mais, é inteligente, com sentido de humor sem ser palhaço ou vulgar. ( está comprovado, e já aqui foi dito neste blog, que o sentido de humor nos homens os leva a ganhar muitos pontos.)
Sem histerismos, idolatrismos ou coisas de miúda que coloca posters no quarto, vou ter que admitir que o RAP é claramente dos homens portugueses mais interessantes, e que está próximo, muito próximo do protótipo do homem que "epá, este tipo faz mesmo o meu género".

Este lançamento do livro do RAP vai dar origem a outro post, sobre uma filosofia de vida. Mas isso, fica para depois.

eu gosto #1

Parece que é uma coisa que já ninguém faz :
ouvir rádio em casa.

Eu ouço, continuo a ouvir e gosto realmente. Nem sempre me aptece ouvir os albúns que tenho.
Continuo a manter teimosamente uma aparelhagem no quarto, a qual uso apenas para ouvir rádio. A rádio faz-me uma companhia melhor do que a televisão.

Mais : tenho o hábito e vício de levar um mini rádio portátil que existe na cozinha sempre que tomo banho. É um hábito antigo. E que eu gosto.

terça-feira, outubro 13, 2009

anda no mundo da lua a miúda

hoje de manhã vi um video dos muse na mtv.
gostei, e decidi que queria ir ver o concerto.
recorri a um dos contactos próximos para saber se tinha companhia para o concerto.

..........................


ENTÃO MAS A M*RDA DO CONCERTO ESTÁ ESGOTADA HÁ MESES E EU NÃO SEI?

novo inquilino

chegou a casa ontem à noite um novo inquilino.
era um inquilino desejado e até apareceu de surpresa.

um bonsai repousa tranquilamente no meu quarto, na prateleira directamente virada para a imensa luz que a minha grande janela emana. hoje de manhã já respirava essa luz.
O bonsai vai exigir um grande cuidado e dedicação. Uma vez já tive um, que infelizmente durou apenas uns meses. vou esforçar-me para que este tenha uma long life.

segunda-feira, outubro 12, 2009

gosto de ti

quantas vezes já disseram a alguém "gosto de ti"?
mas gostar à séria, direito do coração . não é dizer aos pais ou aos amigos.
vá, pensem lá.
e agora pensem as vezes que disseram, se as pessoas mereciam.

dieta

há vários tipos de dieta.
entrei em regime de dieta espiritual. na última semana perdi uns 5kilos de peso de alma. eram cinco kilos que não me faziam falta. sinto-me mais em forma e saudável.

quarta-feira, outubro 07, 2009

V.

raramente faço isto no blog, mas posso ir abrindo algumas excepções.

lembro-me de te contar tudo pela primeira vez naquele bar à beira-rio, e não tive vergonha das lágrimas terem-se escapado, ali em lugar público e tu também que as visses, talvez pela primeira vez.
ouviste-me com atenção, disseste que eu não era a mesma kit kat que conhecias. não era, eu não era.
a partir daí, pegaste em mim, agarraste-me pelo braço ( pelo pé, pela mão, pela perna e etc) e não me deixaste cair mais. e tens estado aqui, aqui pertinho de mim quando eu mais tenho precisado. à distância de uma mensagem, de um cafézinho. a tua presença têm-me dado muita força.
e se eu choro a escrever este post é porque há muitas pessoas especiais à minha volta que são importantes para mim, que também mereciam um post, mas também é porque tu és uma delas. eu nunca vou saber agradecer a importância da tua pessoa no momento que passei. não consigo escrever muito mais que estas míseras palavras.
Isto tem sido dos períodos mais frágeis dos últimos anos e porra, estás cá.

a amizade tece-se assim.V.
( ou W. se preferires em tom brasileiro.)


mas que grande lamechice ó Kit Kat !

merda do sushi

Porra, este maldito curso de sushi deve ter um enguiço qualquer.
Tenho vergonha de dizer há quantos meses o ando a tentar fazer, e pelo vistos também não vai ser de certeza este mês.

F*sca-se. Será em Novembro?

estou entre amigos

Na semana passada, estive numa "reunião" de âmbito laboral, num ambiente onde se discutia a diversidade e a não discriminação. Aquelas duas mesas estavam algumas pessoas que dedicam o seu trabalho e a sua vida à luta pelo direito de igualdade de género, identidade sexual, crenças religiosas e por aí fora.

No meio daquelas vinte e tal pessoas, houve um total desconhecido que se predispôs a contar a sua história.
Levantou-se, encostou-se à mesa e com o ar mais envergonhado que eu já pude ver num homem de 50 e tal anos e com uma voz em baixo tom começou " Olá eu sou o Raul, sou homossexual, e vou contar-vos a minha história e explicar porque me sinto discriminado, desde que perdi o meu companheiro, o companheiro de toda a minha vida"

Eu não vou partilhar a história, porque pouco interessa. E traz pouca dignidade a quem manda nestas cidades. O que vale a pena partilhar é o silêncio que se fez sentir naquela sala enquanto ele contava a história e as lágrimas lhe vinham aos olhos.
Após aquela história, a discussão sobre a legalidade, as leis, coisas juridicas começou. Ele continuava encostado à mesa, e eu não vi, mas acredito que tremesse de nervosismo.
No final, após ver toda a gente envolvida na sua história, o Raul disse " Eu sei, eu estou entre amigos" " e desculpem, eu estou nervosissímo". Novo silêncio. Pesado.
Aquele homem olhou para uma cambada de desconhecidos e sentiu-se em casa. Percebeu que o compreendíamos. Algo tão simples, mas valioso para ele. Mesmo que ele nunca mais nos veja na vida.

Não, eu não me vou esquecer quando ele disse " eu sei, eu estou entre amigos".

segundo pensamento do dia

A Lady Gaga é muito ridícula, não é?

pensamento do dia

Eu já encontrei o man of my life.
Mas sou muito desarrumada e por isso não sei onde o meti.

segunda-feira, outubro 05, 2009

pianisticamente falando

Esta semana não tenho aula de piano.
Mas a Mozart que está dentro de mim mal consegue esperar pela próxima segunda-feira.

uma questão feminina

Feriado cinzentão este.
É um óptimo dia para escrever sobre o seguinte tópico : o único espécime feminino que a dona deste blog tem realmente uma pequena ( ínfima) percentagem de invejinha. Mas saudável, claro.

Angelina Jolie? Demasiado moderna. Gisele ? Um pouco sonsa. Megan Fox? Demasiado escandalosa. E poderiamos continuar por aí fora com as mulheres top deste mundo.

Esta sim, parece-me ser uma mulher a sério. nem demasiado escandalosa, nem sem sal, com as curvas no sítio ( ou pelo menos parece).
Não é loira, nem com os olhos verdíssimos, nem escanzelada. Tem a bem dizer, uma beleza muito simples, e bem mediterrânea.
Não aparece nas revistas a dizer que é lésbica, nem que anda com 10 homens por semana.
Faz o seu trabalho enquanto actriz, e quando é preciso, não tem vergonha de mostrar o corpo, de esbanjar charme ( dizem os homens) e fala uma bonita língua, que conhecemos como italiano.
Resumindo : é uma gaja fixe e que faz jus ao coneito daquilo que uma mulher deve ser.

Monica, eu voto em ti.



domingo, outubro 04, 2009

go girl

vamos de uma vez por todas, parar de fingir que nada se passou.
sejamos directos : foste indecente comigo. eu fui realmente querida e compreensiva conitgo, eu aturei-te o mau humor, eu dava-te festinhas quando pousavas a cabeça no meu ombro e te queixavas.... o que recebo? mentiras atrás de mentiras.
deixei-te à vontade para seres honesto. somos adultos e eu não tenho paciência para andar às escondidas e à apanhada.
em vez disso, de agires como um homenzinho, tens idade para isso, agiste como um menino cobardolas, como se fugisse com o rabinho entre as pernas.
enfrenta as coisas de frente.

Go girl.

sábado, outubro 03, 2009

na agenda

Dia 3 de Outubro.

Para fazer seguimento dos últimos posts.... não aconteceu nada ainda no dia 3 de Outubro em qualquer ano da minha vida.
Mas hoje era uma bom dia para algo acontecer de memorável. ( mas algo bom.)

sexta-feira, outubro 02, 2009

Na agenda

Dia 2 de Outubro.
Hoje faz um ano que parti duas das minhas costelas no metropolitano de Lisboa.
Por esta hora, já tinha feito parar a linha azul por uns bons 15m ( quantos de nós já fizemos parar o trânsito? ), e estava a preparar-me para seguir para o hospital de s. josé. Eu, que abomino hospitais, mantive-me ali, sozinha, em dores, sem saber o que me tinha acontecido.
Se fosse hoje, não me tinha aguentado com tanta bravura.

quinta-feira, outubro 01, 2009

Dia Mundial da Música

Hoje é o dia Mundial da Música.
A música, dádiva dos Deuses.

na agenda

Dia 1 de Outubro.
Por mais anos que passem, não me consigo esquecer que foi neste mesmo dia, em 2004 ,que embarcava naquele avião directa para Milão para a aventura Erasmus.

terça-feira, setembro 29, 2009

compromisso

Pergunta : Qual é a minha relação com o conceito compromisso?

Resposta : É não me comprometer com a possível resposta.

segunda-feira, setembro 28, 2009

Já pude reparar que existe um grande hype à volta deste livro.
Tem um preço exorbitante, mas reune vários factores que me agradam :
- o escritor é sul americano
- o livro tem 1000 páginas ( Calhamaços ao poder!)
- eu cá gosto de clássicos e best-sellers e livros de que toda a gente fale

Hoje vou dar uma fugida à Fnac da Baixa-Chiado e ler uns excertos.

domingo, setembro 27, 2009

eleições

O PS ganha pq o PSD tem uma líder fraca, sem carisma, sem visão de futuro, sem propostas.
Incrível como o PP ultrapassa o BE.
Mais incrível, é que num país onde nos últimos anos houve dezenas de greves, manifestações, revolta, chega-se à hora H, e 40% das pessoas acham que não vale a pena exercer o seu direito de voto. Isto sim é grave.
Que falta de coerência.

happy happy meal


Pareço uma criança tonta a rir-se a ver estes anúncios do happy meal.
Adoro adoro. poem-me bem disposta! A minha parte favorita é o movimento circular de anca
.

state of mind - actualizado

A razão ganha à emoção.
sempre foi assim.


"eu sempre te vi como uma pessoa mais racional que emocional" disseram-me ontem. Sim, é verdade. É absolutamente verdade. Eu sempre quis deixar, deliberadamente, que a razão, o cérebro, a lógica, vencesse o coração, o sentimento, o deixar descontroloar uma emoção.
Muito de nós é feito de emoções. Mas até as emoções possuem algo de racional. Não nascem do nada, não são espontâneas. E as emoções acabam sempre por aproximar-se da razão.
É bonito ser-se emocional. É bonito viver a vida com as emoções à flor da pele. É bonito chorar, rir, ter prazer, ter um desgosto, pode até parecer bonito fazer o percurso da vida apenas guiado pelas emoções, que parecem tão irracionais.
Não é bonito sermos acusados de sermos autênticos cubos de gelo . Não é bonito sermos acusados de sermos frios.
Fui formatada para ser assim. Eu choro muito, rio muito, emociono-me muito, pareço volátil, frágil, mas no fundo, quando me sento sozinha no meu canto, rebobino tudo o que acontece, encaixo as peças, construo o castelo e gosto às vezes até de prever o que vai acontecer. Gosto muito das lógicas das dinâmicas da vida. Formatei-me assim. Felizmente, a razão não supera a imprevisibilidade da vida, e é exactamente essa imprevisibilidade que permite o meu lado emocional sobreviver.
Não me sinto confortável quando o lado emocional se descontrola e perdemos o rumo a nós mesmos. Não gosto, não gosto. A razão salva-me dos afundanços da vida.
Talvez pareça que eu pense demais e sinto de menos.
Mas é exactamente por eu sentir de mais, que penso ainda mais.

sexta-feira, setembro 25, 2009

men are not nice guys

Sting

Ases pelos Ares

Alguém que explique aos pilotos da TAP o que é ganhar mal.
Façam também um desenho para lhes explicar que quantas mais greves fizerem, mais difícil será verem os seus ordenados aumentados.

On the subway

Duas mulheres a conversar no metro, sem pudor do seu tom alto de voz.
Uma delas arrisca e diz :

" Ah, mas não acho que vale a pena sofrer assim tanto por uma pessoa. As mulheres agora estão é a virar lésbicas, porque já nem há homens."

quinta-feira, setembro 24, 2009

Um bonito piropo

Já faz algum tempo... mas não o registei aqui:

" Você ( e a sua colega) são de uma elegância que até me deixa mal disposto."

Sacanas sem lei

Assim se chama o novo filme de Quentin Tarantino, e que tive a oportunidade de ver esta semana.
É provavelmente um dos meus realizadores favoritos, já vi todos os filmes, e já revi consideravelmente ( muitas vezes) o Kill Bill. É, para mim, a sua masterpiece.
O Death Proof era uma filme agradável, mas uns furos abaixo dos anteriores. Este Sacanas sem lei é claramente uns furos acima.
Morte, violência e sangue, O homem não dispensa dos seus filmes. E por baixo ( ou por cima) de um tema tão sensível como o Nazismo, a II guerra Mundial, a malvadez do c*brão do Hitler, disfarça-se a ferida com um bom argumento, personagens burlescas ( Brad Pitt num óptimo registo e o coronel Landa das SS com um papel m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o )uma boa banda sonora, e diálogos muito, muito bem escritos.
Aquela cena inicial fascinou-me.
Não acho que é exagerado dizer que o Tarantino continua no top dos grandes realizadores contemporâneos, quer se goste ou não.


Mas, reparei que vai buscar alguns pormenores do Kill Bill ( nomeadamente o detalhe do " chapter one, chapter two" e a cena da ante-estreia no hall do cinema tem ali um plano ou outro que faz recordar os planos da cena da matança que a Uma Thrman faz no restaurante japonês no Kill Bill 1. Mas é perdoável.

quarta-feira, setembro 23, 2009

olha, afinal...

Eu disse que me ia casar este Verão.
Aliás, cheguei piamente a acreditar nisto. Mas não casei, por motivos metafísicos e analíticos.

Tendo em conta este facto, acabei de decidir que vou mesmo casar na primavera de 2010 ( porque assim até lá ainda tenho muuuuuitos meses pela frente.)

need to stop

Sinto-me uma maluquinha. Sem tempo para fazer as minhas coisas, e por exemplo ficar em casa, e arrumar a pilha de papéis que tenho em cima da minha secretária e a roupa usada que está despejada na cadeira. Parece que na última semana e meia não fiquei nenhuma noite em casa. De facto, não fiquei. Tem sido o constante Levantar-trabalho-mil e uns afazeres - chegar a casa e dormir.
Tanta coisa na cabeça, com um ritmo demasiado rápido. O meu coração bate (literalmente) a mil hora por estes dias.
Este ritmo demasiado rápido leva a que pequenas coisas da minha vida se tornem num autêntico caos. Nos últimos dias, o rádio deixou de funcionar, o relógio também, a pulseria ficou com o fecho estragado, não faço ideia onde coloquei o cabo do IPOD, o meu pc não tem o som funcionar, não sei dos meus oculos escuros pretos e por aí fora.
Parecem coisas banais, mas, não são. São demasiados pequenos aborrecimentos que começam a acumular-se.

Para além disso, estou a ganhar o hábito tontinho de ir nos transportes públicos e simular que estou a fazer a escala a duas mãos no piano, a bater os dedinhos nas pernas, ou em cima da mala. Hoje vinha a ouvir uma determinada musica e a tentar encontrar o ritmo insistentemente da mesma forma. Quem me visse achava que eu uma daquelas pessoas disfuncionais.

Palavrinha para hoje

Silêncio.

terça-feira, setembro 22, 2009

A minha foto do dia

Olha, querido, a rotina acabou.

by David LaChapelle

uma gaffe

No post anterior " Porque sim" escrevo " pôr os bois à frente da carroça", em vez de "carroça à frente dos bois". Linda gaffe.
Mas também não a vou mudar.

segunda-feira, setembro 21, 2009

Porque Não.

Quero muito que 2009 termine.

Porque Sim.

Saí stressada do escritório.
Cheguei à minha terceira aula de piano, envergonhada e ressentida por não ter podido treinar durante a semana.
Sentei-me no banquinho, esclareci dúvidas com a minha professora, e os dedos começaram a roçar suavemente as teclas. Cada vez com mais segurança. Cai a neve, o pretinho barbabé,o piano, indo eu.
Tudo títulos das canções com que me inicio nestas lides, e que me predisponho a tocar como se tocasse uma peça de Bach. Primeiro olho para a pauta ( ainda a tocar só com uma mão.) Depois leio o ritmo, depois leio as notas.
A seguir passo o ritmo e as notas para as teclas. Soa-me bem, sai-me bem. Os dedos libertam-se e caminham cada vez com mais leveza.
Soube-me a pouco, mas saí de lá completamente nova.
Queria ter a certeza que rapidamente ia conseguir dominar aquele instrumentão. Não tenho, de todo. Talvez esteja a por alguns bois à frente da carroça ( ah como eu adoro esta expressão) , quando vou ter que exigir de mim, ter tomates ( outra expressão maravilhosa) e arranjar uns acordes para o ManEater, para o Mercy ou para o When you Were young.

quinta-feira, setembro 17, 2009

A Kit Kat é fútil

Portanto, queria o meu tamanho para estes pares todos de Melissa sff.
Talvez dispense o cor-de-rosinha de cima, mas vá, nunca se sabe a ocasião que possa surgir. Mas olhe que o azulinho é fantástico. E que esse lacinho é um charme.
É que esses centímetros todos que os sapatinhos possuem, dão-me imenso jeito.
Fútil, eu? Não entendo. Então, são uns sapatos. Não posso andar descalça! Cinco pares? Então, mas tenho que andar todos os dias com os mesmos?

My photo for today

Estou farta de brincar às casinhas e às bonecas.

new statement that reminds me something

O Nuno.
Que vivia na Rua Coelho da Rocha.

quarta-feira, setembro 16, 2009

José Sócrates

O José Sócrates ganhou o prémio Sexy 20 Platina do Correio da Manhã?
O José Sócrates é sexy?

terça-feira, setembro 15, 2009

mais uma declaração

Também tenho fome de palco.
Mas amanhã vou poder sacia-la.

declaração

Vários homens juntos parecem umas crianças.
Mas amorosas, claro. O ser mais amoroso deste planeta são mesmo os homens.

Pianisticamente falando

Tive a minha segunda aula de piano ontem.
Eu deliro ( queria arranjar melhor palavra mas não consigo) estar com as mãos nas teclas e fazer sair delas o som maravilhoso que o piano tem. Gosto quando as minhas mãos ganham segurança, e as teclas parecem menos escorregadias e o som sai mais definido.
Descobri que os meus dois polegares cabem no Dó central do piano e eu posso tocar com os dois dedos.
Gosto da minha professora que vai ter muita paciência para mim.
Gosto de olhar para a pauta e de a pouco e pouco começar a lê-la com mais rapidez e de forma fluída. Adoro o ré, o sol, o mi e o dó. Da clave de sol, de fá, dos sustenidos, e das pausas. Das colcheias, das semifuzas, das semibreves. Ontem já fiz a escala com as duas mãos e a utilizar os dedos certos nas teclas certas ( parece fácil, pensam vocês ). Com as mãos e o corpo ainda com pressão. Não vai demorar muito a que as mãos se libertem e voem pelas teclas.
Quero tocar musica clássica, como um jazz, como um rock-pop actual.

A vida não me corre exactamente como eu gostaria, mas, definitivamente meter-me nesta aventura pianística (num dos próximos posts revelo a segunda parte desta aventura)e dar-me conta que estou a cumprir um dos planos que tinha projectado para mim faz-me feliz. Aquele piano faz-me feliz.


Também não me vou esquecer da primeira edição dos Dias da Música no CCB, inteiramente dedicada ao piano, onde vi Maria João Pires, Bernardo Sassetti, Mário Laginha, tangos tocados em piano e outros pianistas. Recomeçou tudo aí.

segunda-feira, setembro 14, 2009

pedido

Eu só queria que o dia hoje corresse bem. Que eu chegasse à cama satisfeita com o dia.
É pedir muito?

Claro que não.

Grrrrr.

É giro trabalhar na Avenida da Liberdade.
É mais ou menos.
Em altura de eleições dou em maluca. O PCP põe a PORCARIA da sua música característica a tocar de 10 em 10 minutos.

Quero o livro de reclamações.

domingo, setembro 13, 2009

Let´s spend the night together, wake up and live forever

Always on top.

A melhor banda sonora para um domingo cinzentão, mas atarefado.

( i have a big crush on Jay Kay)

quinta-feira, setembro 10, 2009

Ele vai voltar

Seu Jorge.
9 de Outubro. Campo Pequeno.
desta vez não vou acabar no palco.


era uma vez...

Numa determinada altura da minha vida, apaixonei-me perdidamente por um tipo. Não era o Brad Pitt da zona, mas tinha um charme que me era irresistível. Conhecemo-nos de uma forma particular, que não interessa ao caso. A química nasceu ali, naquele dia. Apesar disso, não tínhamos praticamente amigos em comum, o que levava a que estivéssemos juntos poucas vezes. Jantámos uma vez. Saíamos todos em conjunto de mês a mês. Falávamos por vezes no messenger e ao telefone. Ele nunca me confessou o quão c*brão era. Mas ele sabia que eu sabia que ele era da pior espécie. Não tinha pudores. Nunca nos envolvemos. Tínhamos uma química brutal. Quando eu chegava ao local onde ele estava e os nossos olhos se encontravam havia ali um segundo em que a Terra parava. Havia um baque dentro do meu corpo e no meu coração. Quando estávamos juntos, o meu lado lunar dizia-me " salta-lhe para cima salta-lhe para cima" a toda a hora. Ele ria-se, eu esforçava-me por não me babar. Ele mexia no cabelo, eu esforçava-me por não me babar. Ele contava uma piada, eu ia ao céu. Era um babanço por aquele tipo ( acabei de inventar este conceito) inacreditável. O pior é que ele lia-me os olhos e a alma com uma facilidade inacreditável e a uma rapidez assustadora. No entanto, ele também não se poupava a babar-se ligeiramente, e o lado lunar dele deve ter-lhe dito muitas vezes " salta-lhe para cima também". Adorava andar em cima de mim. Aproveitava qualquer oportunidade para estar em contacto comigo. Lembro-me tantas vezes da sensação do que é estar num bar, de estarem dez pessoas de um grupo, de nós conversarmos os dois, e é como se nada mais existisse ali à volta. Eu só o via a ele. Ele insistia em falar comigo e colocar a cara dele em cima da minha. Tinha alma de provocador nato.O tipo tinha timings e jogadas impressionantes. Lembro-me de um dia, escrevinhar no meu caderninho que tinha que esquece-lo, porque era tudo platónico. Tinha decidido que sim. Passado meia hora desta decisão interior, ele decide dar-me noticias depois de não falarmos à bastante tempo. Foi sempre assim. E outras coisas dentro do género, que não quero partilhar. Não sei como é que ele fazia aquilo, nunca soube. As nossas energias estavam por demais ligadas. Adorávamos os dois aquela mística do platónico.


Tinhamos os dois um gosto por um constante risco do jogo do rato e do gato. Nunca nenhum homem tinha tido o poder de jogador como aquele. E ele via em mim alguém com quem podia jogar com toda a facilidade.
As coisas nunca avançaram porque ele talvez não tenha querido, e lá no fundo eu também. Não estávamos para aí virados.
Temo que caso nos tivéssemos envolvido, a coisa tinha-se desenrolado seriamente para algo… sério. Mesmo.
Com o tempo afastamo-nos. O meu medo, é que a qualquer altura da vida nos encontremos de novo. Eu nunca lhe contei directamente o que sentia por ele. Mas eu acho que ele sempre soube.