quarta-feira, outubro 10, 2012

O rabiosques da Juliana Paes

Ontem quando olhei para a televisão havia apenas uma coisa a encher o ecrân : o rabo da Juliana Paes aka Gabriela.



A pensar

Passaram 3 dias (ou parecido) e não aconteceu nenhuma manifestação em Portugal.

Aborrecido






O novo filme do Janes Bond estreia este mês, para os mais distraídos.

Nos entretantos, teria sido escusado da parte dos senhores que escolhem quem canta as músicas do James Bond. Não é pela Adele, que até se tornou a cantora com a música mais aborrecida dos últimos meses (e ela que tinha um primeiro álbum tão agradável), mas é mais pela música.

É aborrecida, e certamente que nenhum espião, digno desse nome e profissão se rebaixaria ao ponto de ouvir esta música e dizer "Ah, é fofinha. Combina comigo, que sou durão, sempre a lançar charme, mas vou safando a coisa. E ainda adoro a Adele a cantar isto".

sexta-feira, outubro 05, 2012

sossego

"Estás com um ar muito sossegadinho"

Não sabia que se notava que ando com um ar sossegadinho, quiçá, a engendrar algum plano maquiavélico para a minha vida melhorar brevemente.

quinta-feira, outubro 04, 2012

Acho que alguém devia dar um status especial a este homem por conseguir fazer tudo tão mau mas ao mesmo tempo tão bom

Girls

A culpa de este blog ter sido pseudo-semi abandonado nas últimas semanas é porque tive entretida a consumir rapidamente e com avidez esta série - Girls - que retrata 4 jovens americanas, que tem muito pouco de Sexo&Cidade, excluindo haver sexo, ser numa cidade e o poster do filme da série referida surgir no primeiro episódio da série, um pouco como quem diz " Ah malandros, vão querer fazer uma comparação ou outra". 
Pois bem, não há comparação a fazer.






Aguarda-se com expectativa a segunda série. Já agora, eu curto é da Jessa. 

segunda-feira, setembro 10, 2012

Um pedido de desculpas, com carinho


Tenho um grande pedido de desculpa a fazer a quem manda neste país. O meu pecado é tão grande, que tenho que dividir em várias partes :

1. Devo pedir desculpa, ao Governo, por ser uma pessoa educada, bem formada, que sempre quis ser "alguém na vida", ou pelo menos lutar por um futuro bom, feliz, que nunca inclui ( necessariamente) três mil zeros (à direita) na conta ou três carros na garagem. 

2. Devo pedir desculpa, por também ter procurado rodear-me de gente inteligente, informada e civilizada - e não procurar os chicos-espertos. Vejo cada um deles a singrar na vida, de uma forma ou de outra, e em geral, vejo-os os a todos a lutar por uma vida que acham que merecem, e não se limitam a encostar à bananeira, à casinha dos pais, ou à cunha do tio rico ou bem colocado.

3. Devo também pedir desculpa, por ter estudado. Afinal de contas, andei a gastar o meu dinheiro, dos meus pais, para nada. Tentei pensar numa outra solução para passar o tempo, mas cheguei à conclusão, que esta seria a melhor. Às vezes parece que era melhor não ter estudado, e ambicionado ter ficado pelo 9ºano.

4. Devo, por fim, pedir desculpa por ser uma pessoa que chegou onde chegou por mérito próprio. Às vezes, dá ideia, neste país, que se prefere um bom trapaceiro, burro (mas com estudo na mesma), ignorante, mente fechada, só porque sim.

5. Desculpem-me também, se vou continuar a lutar por um futuro melhor, a não desistir facilmente, porque afinal até sei o que valho, e ter que levar com vocês, que estão no poleiro, de costas quentes, e enfim, não percebem porra disto e que se regem por regras, pressupostos que são esquisitos, que dão errado, e que no fundo, só beneficiam aqueles que vos seguram, porque vocês são é uns maricas pé de salsa.

Beijinhos,
 

quinta-feira, setembro 06, 2012

uma escritora em desenvolvimento desde há 27 anos

Desde criança que as artes e as letras fizeram parte da minha existência. Sobretudo a escrita.Ainda me lembro de uma redacção que fiz sobre as abelhas, e onde fiz o brilharete da turma.

Na preparatória arranjei coragem e partilhei as minhas escritas e histórias com os meus colegas e amigos. Escrevia em folhas A5, e em vez de as agrafar, juntava-as com uns fios de lã. Fazia umas capas bastante pré-históricas no Word, com uns bonecos retirados do programa, e assim era. Claro, não havia quem não gostasse, quem não elogiasse e desse força para continuar.

Escrevi uns 3. Fui parando. Parando, parando....Depois disso, fui rabiscando as palavras e os sentimentos nos cadernos onde desabafava os meus melhores e piores momentos. No final das contas, a escrita nunca me deixou, apenas escrevia sobre aquilo que sempre gostei menos de escrever e sobre o que menos bem sei falar : a minha rica vidinha e os tropeços da minha existência!

Se me perguntassem realmente a sério, talvez ser escritora de profissão fosse um verdadeiro sonho. Viver da escrita, neste país (ou em qualquer outro) deverá ser um privilégio. Crises de criatividade, são elas assustadoras, mas o hábito de escrever treina-se. E quanto mais se escreve, mais se quer escrever. A escrita torna-se uma tal responsabilidade, que, escrever será igual a redigir uma proposta para um cliente, como no chamado trabalho de "escritório".

Talvez ainda guarde cá dentro, um sonho de pelo menos escrever um livro, uma história, que valha a pena lutar por ela, de editá-la. Mas é um sonho difícil de gerir. 
Começo a escrever, paro.

A história desagrada-me, escrevo 2 páginas.
Não encontro nenhuma história, não escrevo.

Sigo agora uma estratégia que gostaria que resultasse: ler muitos livros de seguida, ver mais filmes que o habitual, para que o brainstorming nesta cabeça dê qualquer resultado. Ou encontrar alguém que me dê um empurrão, com um início de história. Que me o ofereça conscientemente, ou sem se aperceber.


Quem sabe, um dia.


segunda-feira, setembro 03, 2012

entendiada

Não sei se já vos sucedeu, mas há momentos em que volto a ser adolescente, sobretudo no que diz respeito à desilusão da realidade que nos rodeia.

Confesso que há momentos em que estou francamente desiludida com o mundozeco que vivemos e há poucas coisas que neste momento considero que sejam realmente interessantes. Ando, de uma forma geral, aborrecida e entendiada.

No entanto, até continuo a acreditar que há cura para isto.

Cem anos de solidão

Onde andava eu com a cabeça por não ter ainda lido o Cem Anos de Solidão.

domingo, setembro 02, 2012

Socorro





Aparece-nos em 1994 este tipo. Não largava os óculos escuros, usava umas plumas, parecia mais que falava do que cantava. Tocava um som diferente, que a malta só ouvia cantada em outras línguas que não o português.Nunca passou despercebido, com mais ou menos discos de platina foi-se mantendo lá em cima no topo do star system musical português (se é que ele existe.)

Em 2012 vejo-lhe o meu primeiro concerto do Abrunhosa. Não sou adepta da fase pós Viagens e Tempo ( os dois primeiros albúns - funk funk funk), mas admito-lhe o máximo profissionalismo, o trabalho que dedica às suas músicas, ao arranjos que lhes dá e que se transformam ao vivo. Admito-lhe o enorme talento que tem, os bons músicos que o acompanham, e também o discurso que manteve, mais político e aceso. Sabe do que fala.

Só por isso,tive que ir buscar este "Socorro". Vou ali buscar os meus óculos e fazer uns "moves" enquanto ouço isto.

Começar de novo

Existe uma certa leviandade quando se fala em "começar de novo".

Geralmente, o "começar de novo" é encarado como algo positivo, que traz novas possibilidades, oportunidades, e talvez um novo rumo. 
Mas e quando somos obrigados a começar de novo e não queremos? Começar de novo será sempre assim tão positivo?

Receio que começar de novo seja também dar alguns passos atrás.

terça-feira, agosto 28, 2012

Arte pós-contemporânea

Para mim esta história da avózinha espanhola Cecelia Gimenez,que decidiu, por vontade própria, restaurar o "Ecce Homo", um fresco de 1910, é das melhores histórias dos últimos tempos.

O resultado final, se comparado com original é desastroso, mas certamente que temos visto obras de arte, que ao nível da "qualidade artística" são mais aborrecidas e com menos sentido que este restauro da querida Cecelia.

Com isto, quero eu dizer que, se, algum artista contemporâneo decidisse pintar esta obra e depois dizer que representava Jesus Cristo, mas o seu aspecto era este ou por certos e determinados motivos saídos da sua cabeça imaginativa e artística, o alarido estaria bastante longe do actual, e quem sabe, daqui a uns anos, teríamos a sorte de ter o quadro na colecção de arte do Berardo.

Todos nós podemos ser artistas, pois então.


segunda-feira, agosto 27, 2012

Sem medos

Deixei de ter medo de ladrões, ou que me assaltem.

Desde que o preço da gasolina começou a subir todas as semanas, habituei-me ao roubo semanal.

Guerra das Estrelas

Sou uma mulher de cinema, quer isto dizer, que sou uma mulher que gosta muito de cinema, que vejo filmes uns atrás dos outros (quando assim o tempo, disponibilidade e etc permite), vejo filmes de tódo o tipo - sejam eles filmes pipoqueiros à la Hollywood, ou um europeu alternativo.

Existem vários fenómenos de popularidade no cinema, e há um deles que eu não partilho : Guerra das Estrelas.

Haverá aí já desse lado insultos ou ameaças de deixar de ler o meu blog neste momento. Dizer que não se é grande fã do Star Wars pode ser arriscado, mas eu tenho que dizê-lo. 
Já tentei ver os filmes mais do que uma vez, e adormeci num deles a meio. Não tenho culpa, bem que me esforço por me envolver na história, mas ainda não partilho da febre. Apenas consigo partilhar de uma certa simpatia pela figura do Darth Vader, essa sim, imponente.

Por respeito à importância destes filmes, eu vou continuar a tentar.
(e por favor, continuem a ser meus amigos e leitores)

Silly Season

Estão todos agradados com a vossa silly season?

Ainda não se fartaram de sol, praia, menos trânsito e todas as outras coisas típicas desta altura?
A réentrée está aí e vai trazer com certeza mudanças.

Margarida Rebelo Coitadinha Pinto

A Margarida Rebelo Pinto anda na boca do povo (talvez também já tenha andado noutros sítios do povo) por ter escrito uma crónica, que ao que parece é motivo de choque para muitos. Eu já a li (procurem na net ou no vosso facebook - vai ser fácil de encontrar) e honestamente, a m*rda, é a mesma de sempre.

A escrita desta senhora não interessa a ninguém, mas parece que, infelizmente, vamos ter que continuar a levar com as suas crónicas/textos escritos sem sentido ainda por mais algum tempo.

segunda-feira, agosto 13, 2012

O novo hit deste verão ou como há gente que não tem noção




O novo hit deste Verão conta com a Fanny (ex-concorrente Casa dos Segredos), o seu top às bolinhas, um gajo a cantar que eu nunca vi, o pai da Fanny, os calções a cair pelas pernas abaixo do dito cantor, uma música má e um pavor nunca antes visto.

O Bom Inverno

Digo eu que, não existe nem bom nem mau marketing de livros.Existem apenas bons livros, livros medianos, livros maus e há depois os livros terríveis. É também óbvio que a qualidade da escrita nem sempre corresponde à quantidade de livros vendida.
No entanto, um mau livro é partilhado e propaga-se à mesma velocidade que um bom livro. A prova de fogo passa sempre por sentarmo-nos na cadeira e ler o livro.

O autor português João Tordo há muito que me já tinha passado pelos olhos e pelos ouvidos. A prova de fogo deu-se comigo na Fnac a ler "O Bom Inverno". Por meras questões burocráticas não o trouxe comigo, mas as 30 e tal páginas lidas deram-me a segurança que ali está um bom livro, e portanto, vai ser o elemento mais novo da irmandade bibliotecária da Kit-Kat.

quinta-feira, agosto 02, 2012

Questão existencial

Desde sempre que há uma dúvida que me inquieta :

Porque razão as Belgas de chocolate são só 3 num pacote e as normais são 4?

Acham que a malta gosta menos de chocolate, é?

segunda-feira, julho 30, 2012

Relatividade e o conceito de férias

Todos nós teremos um conceito diferente de férias. 
Para alguns deverão incluir praia, outros campo, outros uma escapadinha a uma cidade.
Em geral, todos pensam em férias como fuga à rotina e algum sossego, para recarregar baterias.

Hoje, no jornal da noite, assisti a uma reportagem sobre as férias de alguns portugueses em Armação de Pêra, no Algarve.

Para conseguirem um toldo, pagaram 500€ (ai a crise) e para tal, estiveram 2 noites a dormir à porta da junta de freguesia. A restante malta, para conseguir lugar na praia, com um vulgar chapéu de sol, tem que ir para a praia às 6h45/7h da manhã, senão fica lotação esgotada.

Ah, que bom. Férias no Algarve.

segunda-feira, julho 16, 2012

Como escrever um texto sobre o assunto quente da sociedade, sem escrever um nome ou caso em particular

Faz parte da conduta dos mafiosos, assumirem-me como são, sem vergonha na cara. 
Não têm esse pingo de vergonha (que os comuns mortais poderão ter) visto que o poder que têm e os cordelinhos que mexem chegam bem para enfrentar as críticas, os olhares mais duros, ou ver o seu nome "enxovalhado" a toda a hora nas notícias e nas redes sociais.

Faz parte dessa conduta estarem-se pouco a borrifar para os outros. O que fazem (e o que não fazem) é consequência natural daquilo que são, e por isso estão dispostos a colocarem-se nesse papel. Dificilmente enganam alguém, podendo alguém pensar que eles são santinhos.
No entanto, continuam enganar tudo e todos, a manter-se lá em cima intocáveis, como se nada fosse com eles.

Normalmente, por uma questão de honra, e outras vezes porque lhes dá jeito,os pares, os iguais, os que convivem com eles, mantêm-se calados. 
Ou porque também partilham dos mesmos princípios, ou porque têm os mesmos esqueletos no armário.


terça-feira, julho 10, 2012

comida&bebida&comida&bebida&comida

Um grupo de portugueses não precisa de muito para se divertir, desde que, de alguma maneira, haja comida e bebida.

Há dias atrás, festejava-se um aniversário. Combinámos no restaurante, onde se comeu e bebeu. De seguida, a bebida esperava por nós num dos miradouros da cidade. Como se não bastasse, às 2h da manhã a barriga reclamava e decidiu-se ir até ao Galeto, na Avenida da República, para matar o bicho da fome.
A festa faz-se à volta da mesa, e se a bebida for interminável, são horas seguidas que correm e ninguém dá por isso.

Dicotomia

Vivo numa dicotomia de sentimentos no que diz respeito a este país à beira mar plantado.

Gosto muito dele, mas acho que está a ficar uma miséria.

Men are not nice guys ( acabei de o ver na tv e pensei que fazia sentido)

Rodrigo Lombardi

quinta-feira, julho 05, 2012

Dentinho de ouro (que esperamos que a fada dos dentes não leve, a menos que também ela esteja em crise

A Sofia Aparício, moça que eu tinha até em boa consideração, colocou um dente de ouro, que ao que parece, era um sonho antigo.



Estou curiosa para ver se a moda pega.

questão filosófica

Ontem à noite, enquanto navegava na Internet, uma questão filosófica surgiu-me :


Como era a vida antes da Internet?
Tinha piada?
Era interessante?

O que se fazia nas horas vagas?

terça-feira, julho 03, 2012

da amizade, do amor, do carinho

Deve ter sido cepticismo, ingenuidade, cegueira, parvoíce minha de ter por momentos duvidado da felicidade que é de vivermos rodeados de amigos, familiares, namorado,de gente que nos acarinha, que nos sorri, que estão dispostos a dar-nos um abraço quando precisamos. 

Ou mesmo quando não precisamos.

Foi estupidez natural pensar que isso já não existia, que o poder da palavra, da amizade não tinha valor, que o passar dos anos só prejudicava.Foi infantilidade minha pensar que a solidão era o melhor conforto, a melhor almofada, o melhor escudo contra o dia-a-dia.

Às vezes a nossa salvação está à distância mais curta possível.

The Sopranos



Sou um pouco old-school no que diz respeito a Séries Televisivas.
Estou a ver os Sopranos ( que data de 1999!) e claro, a adorar. Sinto-me já parte integrante della famiglia e a ser surpreendida pela profundidade das personagens e da qualidade do enredo. Sou suspeita, sou muito fã de histórias de famílias e de máfia.

Odeio de morte a velha chata - a mãe do Tony Soprano (que de propósito não quis que surgisse na foto) e de cada vez que a tipa aparece no ecrã, surgem-me vontades de a aniquilar sem dó nem piedade.

Woody Allen

Para quem quer conhecer melhor a obra do Woody Allen. Para quem quer ir para além dos filmes pipoqueiros de verão. Para quem pragueja que não há nenhum programa cool para fazer. Para quem gosta de Woody Allen. Para quem quer passar a gostar, ou então a confirmação para quem nunca gostou e realmente nunca vai gostar.
No Espaço Nimas, na Av. 5 de Outubro.

Espírito Italiano

Tomei conhecimento deste tema através de blogue alheio. Como gostei do que vi, não há maneira de não bloggar o assunto também.

Agrada-me substancialmente esta nova campanha da Dolce&Gabbanna, porque não vejo aqui um folhetim de moda, vejo uma fotografia que captou de um modo absolutamente perfeito um certo lifetsyle italiano, numa mistura de conceito de família, tarantella, bom gosto e uma certa joie de vivre à la italiana.

Para verem melhor, basta um click em cima de cada fotografia.







quinta-feira, junho 28, 2012

por um dia

Era bom que amanhã acordasse e tudo estivesse bem.

Que não houvesse más notícias, que todos fossem felizes, que só houvesse sorrisos, e não ouvisse  lamentações, medos, olhares vazios.

Nem que fosse por um dia.

Últimas considerações sobre a bola

Que me perdoem mis amigos de España :

- Para campeã do mundo, da Europa e não sei quê, vão ter que fazer mais qualquer coisinha para além do que fizeram ontem contra Portugal. Empataram contra a Itália (equipa forte), ganharam à Irlanda (até eu ganhava sozinha contra a Irlanda) e ao que ouvi dizer, houve uma ajudinha contra a Croácia.

Por isso, não há muitas dúvidas por quem estarei a torcer no domingo.

quinta-feira, junho 14, 2012

Nada de novo

Estamos em plena época de bola.
Vejamos se alguma coisa está a correr fora do previsto :

- A Alemanha faz a sua vidinha, e ganha.

- Portugal ganhou, com sofrimento atroz, só deixando a malta descansar aos 87 minutos (oitenta e sete em 90 minutos possíveis, excluindo descontos)

- Portugal pode passar, mas mal acabou o jogo começaram as contas, vai-se buscar a calculadora e os "ses" : o se a Alemanha perde, ou se a Dinamarca ganha e etc.

Enfim. Nada de novo.


Santo António

Não quero fazer versos ao Santo António
Porque versos não sei escrever
Este ano os Santos Populares foram divertidos
E não há mais nada a dizer!


Esse querido, o Santo António é um Santo bem porreiro.
Talvez nunca ninguém tenha dado o adjectivo de porreiro a um Santo, eu fui a primeira.

terça-feira, junho 05, 2012

considerações ou frases chave sobre o Rock in Rio 2012


- Há ali malta que acha que vai sair à noite e se apruma à séria

- Vi o Camané e pensei que os homens não se medem aos palmos

- Intriguei-me com o número de shorts que vi vestidos nas miúdas quando fazia já uma temperatura desagradável

- Não sei onde há tanta gente em Lisboa e como cabem todos ali

- O Luís Represas tem o mesmo corte de cabelo desde há 150 anos

- Os hamburguers do Burger Ranch são bastantes aceitáveis

- Dói-me as pernas

- Graças a Deus não cheguei a tempo de ouvir os The Gift

- O Bryan Adams está sempre à altura

- Não compreendo porque é que um cabeça de cartaz começa a tocar à 1h da manhã

- O Stevie Wonder é o maior, mesmo com 62 anos e sendo cego

Frase da noite "Se chegarem a casa e não tiverem mais ninguém, pensem que eu também vos amo" by Stevie Wonder

Tou cheia de te oubir

A malta da comunicação social leva o tema da Selecção Nacional à exaustão. Acho bem acompanharem razoavelmente o percurso, mas estou de cabelos em pé cada vez que ouço a voz do jornalista Nuno Luz, da Sic, que nos quer mostrar muito os bastidores da selecção.

Só falta mostrarem detalhadamente os ritmos de fazer cócó e xixi dos jogadores, e saber qual a cor da sorte do Paulo Bento nas "trusses" e "peúgos" em dias de jogo.

la belle époque

A época balnear foi inaugurada.

quarta-feira, maio 30, 2012

mistério

Há um mistério por resolver com um dos vizinhos do meu prédio.
Neste caso, a vizinha do 1º andar.

Nacionalidade indiana (assim aparenta), muito magra e sorridente e que gosta de me cumprimenta como "olá amiga".
Ultimamente, e sempre que passo à porta do seu apartamento - seja a que horas forem, dou-me com o seguinte cenário :
Meia despida ( normalmente só com uma camisa comprida) com uma embalagem de alcool na mão, dois ou três sacos no chão e na mão. Parece que está sempre a desinfectar alguma coisa que estará nos sacos, que honestamente parecem não ter nada lá dentro a não ser mais sacos.

O mistério está a dar-me cabo do espírito.
Se reconhecerem os sintomas, por favor, esclareçam-me.

Stevie

A cada dois anos repito exactamente o mesmo "Não, este ano não vou ao Rock in Rio. É muito caro e não vai ninguém que interesse."

Arranjaram-me bilhetes bem mais baratos para ir ver o Stevie Wonder e sendo assim, sou feliz.
De bónus, vou passar o concerto do Bryan Adams a cantar todas as músicas,sentir-me como se tivesse 16 anos e me encontrasse em plena histeria da adolescência.

Vai ser muito agradável.
 



quinta-feira, maio 24, 2012

Odeio o Marc Jacobs

O único estilista topo de gama que aprecio e de que seria capaz de vestir qualquer trapo é o Marc Jacobs.



Esta saia com uns pius pius passou-me à frente para me infernizar o espírito.

Raios a partam.

muita hormona adulta junta

O telemóvel toca e dá a notícia de que o bébé nasceu - mãe e filha bem, o pai meio desesperado por ter duas mulheres em casa

colamo-nos à net - vou casar vou casar vou casar

olha-se para a agenda - casamento para ir ( vestido para comprar)

e chega-se à conclusão que, ou estamos na idade de ver estas coisas acontecerem mais frequentemente, ou que a crise tanta afasta as pessoas de alguns valores, como os reforça. Não haverá nada mais forte que as ligações (verdadeiras) que as pessoas criam e que se comprometem a fazerem-se felizes e a trazerem bebézinhos ao mundo.
Tudo bem. Eu assisto, eu aplaudo, eu emociono-me, resumindo, fico feliz.
Mas a certa altura esbugalho os olhos e penso " Oh meu Deus, estou a ficar adulta!!!!" 

A minha alma sensível e chorona não sabe se aguenta possíveis casamentos em catadupa e possíveis bébés a vir a este mundo. 
 Por favor, tenham piedade de mim e vão-me avisando, devagarinho, com antecedência, para que me possa preparar como deve ser.


terça-feira, maio 22, 2012

A história não acaba assim

Step by step.

Day by day.

Todos os dias acordo a acreditar que o dia corra bem.
Todos os dias me deito a pensar que já faltou mais para a nuvem negra passar.

segunda-feira, maio 21, 2012

Há festa em casa no próximo fim de semana

Achei que a decoração da minha casa estava a precisar de um novo elemento.
Sendo assim, comprei uma bola de espelhos, até tem umas farripas e tudo, e fica lindamente na minha sala.

Por isso, vou fazer da minha sala uma disco no próximo sábado.
Estão todos invited. A senha para entrar é : consigo ter vestidos no armário bem piores que este.

sexta-feira, maio 18, 2012

uma questão de existencialismo

Sou caixa de óculos.

Desde os 9 anos que o sou e até há bem pouco tempo, adepta fanática das lunettes, em detrimento de lentes de contacto.

Apesar de utilizar cada vez mais as lentes, em breve vou comprar umas lunettes novas, visto que as em presente utilização estão escafiadas até ao seu limite.
É por isso, um grande momento de tensão para mim, de tomar a decisão de escolher um acessório que tanto diz sobre ma personne e que tantas horas me acompanha. A responsabilidade é máxima e as hipóteses de falhar terão que ser mínimas.

Grandes, de massa? Pequenos, minimalistas?
Pretos? Azuis?
Bicolores?
Da CK? Da Vogue?

A vida de uma caixa de óculos não é fácil.

too much information

Consumimos todos demasiada informação.

São muitos telejornais, muitos jornais online, muitas aplicações no telemóvel para ver as notícias e saber o que se passa. E com tudo a mudar minuto após minuto (safa, que canseira) uma pessoa cansa-se, aborrece-se, ou pelo menos eu, estou a começar a sentir-me assim.

Tou farta de ver tanta notícia e saber tanto do mundo. Ainda por cima, só coisas muito boas que se passam.
Vou fazer uma pausa e passar por eremita durante uns dias.

Isto implica igualmente não ler o feed do Facebook, onde as notícias são replicadas 300 vezes por segundo.

quinta-feira, maio 17, 2012

uelá lá lá

Virei céptica e tinha retirado isso dos meus planos. Achava que só iria acontecer aos outros.

E aos 27 anos tinha aceite uma certa condição de solitária, sem preconceitos, e sem ouvir os outros que me franziam o sobrolho e diziam " Epá, a sério, és tão nova... Está calada pá!"

Com uma amachucadela do lado esquerdo do peito, tão permanentemente e típica minha, já tinha aceite não disponibilizar mais o meu coração. Sem uma ou outra brutal cabeçada que dei, não chegaria de certeza, onde cheguei, e não era a Kit-Kat que sou, e de que alguns de vocês gostam.

O sonho, o sorriso, os olhos a brilharem. A cumplicidade, o poder partilhar, afinal também estavam reservados para mim.

Portanto, caguei para essa merda toda e sou feliz.

Assim não dá


Tirem-me esta tipa da frente, sff.
Quero lá saber que seja realeza.
É que é elegante, bonita, e está sempre impecavelmente bem vestida, sem nunca ter que mostrar o pernil, a mama ou o rabo.

Estou a ver-me grego

Olá, tudo bem?

Bem, obrigada.

Todas as expressões chamadas "populares" têm a sua origem. A "estou a ver-me grego" nunca fez tanto sentido. Certamente que há muito, muito, muito tempo atrás o conceito de grego estaria relacionado com alguma dificuldade.
A História repete-se, está visto.

Estão os gregos a verem-se muito gregos ( o patriotismo inchadíssímo e em altas) aparentemente a borrifarem-se para isso, e o resto da malta a assitir ao festim, com iogurtes gregos e queijos feta à mistura (para quem não sabe, estes dois ingredientes são a base da alimentação grega. E por este andar, deixaram de ser a base para serem os únicos.)
Como vão todos ficar muito magrinhos só a comerem iogurte e queijo, vão todos caber na sua linda ilha de Santorini e todos vão emigrar para lá, deixando na parte continental a responsabilidade e os dois dedos de testa. O terreno será possível de alugar, e quem sabe, poderão fazer dinheiro a partir daí.

Atenção, não tenho nada contra os gregos. Só estou um pouco aborrecida de se estarem a portar um bocadinho mal.

Não gostaria de evoluir de um "estou a ver-me grego" para um "estou a ver-me europeu"


quarta-feira, maio 16, 2012

Gangsta alfacinha



Se algum dia derem conta de estarem a passear numa viela estreita e apertada, num dia quente de verão e de repente entram no primeiro café que vos surge no horizonte para comprar uma gelada garrafa de água, e ao entrarem, reparam num grupo que vos parece de gente estranha, que vos olha de alto a baixo, porque estão reunidos para falar de coisas que não querem que vocês ouçam, talvez seja um grupo de gansters alfacinha, ao estilo da Crónica dos Bons Malandros.

Assegurem-se que nesse dia, a banda sonora para essa cena é destes senhores.

(Ando a topá-los faz tempo. É bem merecido o empurrãozinho que o Anthony Bourdain lhes deu no seu "No Reservations". Daqui a uns dias estão a tocar na festa da estreia do filme " Cosmopolis" do David Cronenberg, em Cannes.)
Auspicioso.

domingo, maio 06, 2012

dos artistas em Portugal

"É lamentável que Portugal se vergue perante o pior que chega dos quatro cantos do mundo(...) Do Brasil aos EUA, importamos diariamente milhões de euros de música de péssima qualidade(...) Mudar isso?(...) Qualidade não falta. Falta maturidade e autoestima aos sucessivos "gabinetes" criados para o efeito(...) Basta mudar a imagem que temos de nós e exportaremos mais música. Não há outro, nem melhor embaixador dum país que a sua Cultura. Desenganem-se, senhores políticos passageiros".

Pedro Abrunhosa in Visão, edição 1000, 3 de Maio de 2012

"Perdem-se valores que podiam ser explorados e até exportados. Tem havido sempre uma ignorância total em relação a este potencial de exportação. Acho que há uma falta de visão muito grande, não se olha para essa realidade, quando ainda por cima tens exemplos de outros países, como o Canadá ou França, que têm gabinetes de exportação para a música e que dão lucro. Em Portugal tem-se a perspectiva de que os artistas são um peso. Pode ser exactamente o contrário, podem ajudar a gerir esta crise."

Paulo Furtado in ionline, 2 de Maio de 2012

quinta-feira, maio 03, 2012

Vida alugada

Trabalhar por conta de outrem é como alugar casa.

Todos os meses fazemos das tripas coração.
E nada daquilo será algum dia nosso.

segunda-feira, abril 30, 2012

O amor é lindo

- Estou super apaixonada por ele.

- É??? Então vais-te casar?

- Sim. Em alto mar.

- Em alto mar?! Uau, que romântico.

- É para me atirar quando tiver dito o sim.

Feira do Livro

Fui feliz e contente à Feira do Livro de Lisboa.

Antes a feira acontecia perto das festas da cidade, o que significa Junho. Realizar uma feira do livro, em Abril (mês típico de chuva em Portugal) é que não me parece nada inteligente. Cada vez antecipam mais a data.Em breve será um feira do livro natalícia.

Critícas à parte, lá fui eu, de vontade aguçada de trazer uma pechincha, como é hábito. Não trouxe uma daquelas edições velhadas de um livro do Jorge Amado, para toda contente ter trazido o "Siciliano" do Mario Puzo.Quando cheguei a casa e comecei a ler o resumo da história é que se fez luz na minha cabecinha:

Kit-Kat, tu já tens este livro em casa. Tu JÁ o leste.

Resignada à minha precipitação, ofereci-o no imediato.

Sendo assim posso resumir que :

a) estou a ficar senil
b) já não sei os livros que li ou que tenho em casa
c) convém pensar antes de comprar um livro



sábado, abril 28, 2012

sabádo à noite

Há algo que me faz muita confusão: Sábados à noite em casa.


Fenómeno rarissímo de ser visto.

quinta-feira, abril 26, 2012

Shame : sem vergonhas

Há umas semanas atrás, fiz post do Michael Fassbender, já a prever que em breve iria ver o "Shame", segunda obra do realizador Steve McQueen.

A nível estético, sem qualquer ponto ou nota a acrescentar. Muitissímo bem filmado. Os planos são longos, bem à boa moda europeia, mas que se enquadram a 100%.

Ao contrário do que até podia esperar ,o ritmo do filme é mais ou menos lento - numa total contradição da velocidade com que o protagonista se vai deixando consumir. Pelas mulheres e homens que o rodeiam. A cada momento que passa, Brandon é sugado com cada vez mais sofreguidão por tudo o que lhe aparece à volta. É ele que se coloca nessa posição, sem dó nem piedade.
Não faltam bonitas cenas de masturbação, zica-zica homem/mulher, homem/homem e mulher/mulher/homem. Está lá tudo, e sem um pingo de pornografia fácil.
A última cena de sexo é forte, mas não me lembro de ver em algum filme tão bem filmada e, dentro do possível, cheia de classe.

De repente, encaramos de frente com a avidez de corpo e falta de calor humano que aquele homem sofre. Tantos corpos, tantos fluídos, e nada o chega para satisfazer, porque ele próprio não se dá ao básico dos sentimentos humanos, a seguir ao sexo : o amor. Ele procura-o, mas há muitos nós para desfazer.
A história não é distante do que vivemos no dia-a-dia. Talvez possamos conhecer várias pessoas assim. Desprendidas, distantes, aparentemente insensíveis, porque o que lhes faz mais falta... nem sempre está por perto.São falsas muralhas.

Nota final para o Michael Fassbender. É preciso muito amor à arte para se expôr desta forma. Temos actor.

Ideia idiota

Como super fã de chocolate, considerei que andava a comer demasiado chocolatinho.

De repente, surgiu-me a ideia idiota de testar os meus limites (silêncio profundo) e não comer chocolate durante um determinado tempo.


Estou há 17 dias sem comer um chocolatinho que seja, e estou tal e qual como um drogadão em plena fase de recuperação. À rasca.

cum catano

Cum catano, o blogger mudou de template ( já não era sem tempo, que isto era de uma pobreza franciscana....) no entanto não estou a sentir muito empatia com isto, dado que não é intuitivo e fácil de usar. Não é imediato.

(Utilizem sempre estas expressões " intuitivo" e "imediato" sempre que se refiram a um site, dá ar de que entendem muito do assunto).

Sendo assim, espero pelo menos que esta mudança de template, sobretudo para quem nele escreve, se revele melhor e mais consistente.

 

terça-feira, abril 17, 2012

quinta-feira, abril 12, 2012

Stevie Wonder

Mal vi o Rock&Rio anunciar que teria no seu cartaz :

- ou Rihanna
- ou Justin Bieber
- ou Stevie Wonder
- ou Shakira

eu sabia que seria o Stevie Wonder.
A Rihanna está entretida em andar nua no meio da rua. O Justin Bieber nunca podia vir, porque não sabe onde é Portugal e a Shakira também não, porque ela própria já está enjoada do festival.

Posto isto, não queria perder por nada deste mundo o concerto da Stevie, de maneiras que a ver se conseguia arranjar um bilhetinho for free ou um desconto, que 61 euros para levar com os The Gift e a Joss Stone custa na alma.

quarta-feira, abril 04, 2012

mézinha

Não há, em princípio, nenhum telemóvel meu que não leve com uma ou pinga de água em cima.

Há 2 dias, não foi uma pinga, foi uma mais considerável quantidade de água que inundou o raio do bixo.


O som começou logo a falhar e o meu sistema nervoso também fez o mesmo. Experimentei a habitual mézinha : ir imediatamente enfiar o telemóvel no meio do arroz, que tão bem absorve a humidade. Remédio santo.


Se um dia acontecer-vos o mesmo, sigam o conselho. Nunca falhou.

Kat del Mare

Há uma nova tendência de nomes nas novas artistas femininas pseudo indie-arty-hipsters-wannabes, do tipo :


- Lana del Rey

- Mel do Monte


Também quero um nome assim. Vou passar a assinar como Kat del Mare ( pronúncia italianizada). Exótico, estrangeiro, isso e tal.

Mdna



E como é habitual, de vez em quando a Madonna chega e diz "Vamos lá a ver, quem é que manda aqui nesta merda??". Qual Lady Gaga, qual Beyoncé, qual Rihanna, qual Britney Spears e restantes derivados.

A música não é assim a melhor música de sempre, mas o vídeo chega para encher a barriga e os olhos.

quinta-feira, março 29, 2012

Bruce Springsteen

O Bruce Springsteen vem tocar ao Rock and Rio e vem acompanhado da banda que se chama : The E Street Band.
Este é um exemplo dos mupies actuais espalhados pela cidade :


Muito bem. Agora descubram as diferenças.

tempo

Um post sobre o assunto favorito de qualquer português : o clima.

Sou a única a achar que ainda vem aí um petit peu de frio e a bela da chuva em Abril, só mesmo para nos chatear, à beira do Verão, que é como quem diz...Maio?

quarta-feira, março 28, 2012

terça-feira, março 27, 2012

O homem português

A Travelers Digest decidiu dar um honroso quarto lugar aos homens portugueses no que toca a beleza.

Esta classificação vale o que vale, mas para que conste, a Kit-Kat vem dizer que sim senhora, este estudo é mais do que válido e já estava na hora deste reconhecimento.
Para o mulherio português não devia ser surpresa. Para mim, não era de todo. Dos sítios onde já estive, e alguns bem fashion, o charme português raramente é ultrapassado.

Um beijo para todos os homens portugueses que contribuem para a reconhecida qualidade do homem tuga.

tou xim?

O mundo da publicidade e dos anúncios pode ser fascinante. Para quem nele trabalha, e mais ainda para quem está do lado do consumidor.

Hoje mais atenta do que nunca - estudar marketing (des)formata-nos a cabeça para estas coisas, gosto de estar em cima do acontecimento no que toca a anúncios publictários, e imediatamente a seguir desenvolver uma tese simples e rápida daquilo que a marca e os estrategas da marca querem chegar com aquilo.

A velocidade hiper-mega-ultra-super rápida 4g deu um novo fôlego às marcas. É tudo a ver se inova ou se faz plágios de anúncios. Outras marcas querem converter o consumidor ao "sê diferente, sê original" e a um lifestyle cool. Fazem trinta por uma linha, o que muitas das vezes se revela um tiro ao lado. As pessoas lembram-se dos anúncios, mas será que cumprem o seu objectivo? Iremo-nos lembrar do senhor a voar da montanha abaixo da Vodafone 4G entre outros?

Não quero referir nem criticar nenhuma marca em especial (embora tenha acabado de faze-lo). Deixo este, como o primeiro de alguns anúncios que vamos passar a relembrar. Xim?

sexta-feira, março 23, 2012

Touch

O mito do fio vermelho do destino é uma antiga lenda chinesa e que nos diz que os deuses amarraram uma corda vermelha invisível nos tornozelos de homens e mulheres que estão destinados a encontrar-se.
Este fio vermelho conecta todos aqueles que estão destinados a conhecer-se, independentemente do lugar, tempo ou circunstância.O fio pode esticar, emaranhar-se mas nunca se parte.

Esta é a premissa de uma nova série que começou na FOX, esta semana - TOUCH, e que conta com a participação do senhor que entrou no 24 e que conta a história de um pai solteiro, que tem um filho autista, que através dos números vê o passado, presente e futuro e como o mundo e todos nós estamos interligados.

Não sou das mais entusiastas com as séries, mas vi o primeiro episódio, e foi o suficiente para, pelo menos, querer ver onde vai dar. As ligações e as coincidências apresentadas neste primeiro episódio parecem demasiado improváveis e dignas de filme, mas who knows?