domingo, dezembro 30, 2007

pensamento para o último domingo de 2007

O amor é como a depilação : Dói, mas depois compensa.

se eu tivesse que ser...


Estava a ver a MTV e pensei : Se um dia escolhesse que pop-star seria, escolhia a Nelly Furtado. Mas ia falar um pouco melhor português que ela.

sábado, dezembro 29, 2007

sou de sagitário


Ser de Sagitário - Adriana Calcanhoto

Você metade gente
e metade cavalo
Durante o fim do ano
cruza o planetário

Cavalga elegância
Cabeça em pé de guerra mansa
Nas mãos arco e flecha
Meu coração
Aguarda e acompanha
seu itinerário

Até o fim do ano
ser de sagitário

Você metade gente
e metade cavalo

a tresloucada do ano ( mas fora isso, até canta bem)


quarta-feira, dezembro 12, 2007

it is time for Christmas?




you learn

"You Learn", Alanis Morissette
I recommend getting your heart trampled
on to anyone
I recommend walking around naked in your living room
Swallow it down (what a jagged little pill)
It feels so good (swimming in your stomach)
Wait until the dust settles
You live you learn
You love you learn
You cry you learn
You lose you learn
You bleed you learn
You scream you learn
I recommend biting off more then you can chew to anyone
I certainly do
I recommend sticking your foot in your mouth at any time
Feel free
Throw it down (the caution blocks you from the wind)
Hold it up (to the rays)
You wait and see when the smoke clears
You live you learn
You love you learn
You cry you learn
You lose you learn
You bleed you learn
You scream you learn
Wear it out
(the way a three-year-old would do)
Melt it down
(you're gonna have to eventually anyway)
The fire trucks are coming up around the bend
You live you learn
You love you learn
You cry you learnY
ou lose you learn
You bleed you learn
You scream you learn
You grieve you learn
You choke you learn
You laugh you learn
You choose you learn
You pray you learn
You ask you learn
You live you learn

domingo, dezembro 09, 2007

praia do Barril


uma questão de critério

Neste fim de semana em Lisboa, vê-se muitos carros blindados, muitos polícias, muito trânsito caótico, hotéis sem quarto a não ser para os senhores da África e da Europa.
Não se pode receber o senhor Dalai Lama ( ah,que não queremos constrangimentos com a China, essa economia em ascensão) mas podemos apertar a mão, sorrir, receber ( e montar tendas) aos senhores ditadores.
É uma questão de critério.

quarta-feira, dezembro 05, 2007

saltar pela janela

É uma sala. Com uma porta e várias janelas.
A chave da porta está em cima de uma mesa no meio da sala.
Sai-se pela porta porque a chave está ali e porque as janelas são altas.
A chave experimenta-se na porta, mas não dá para abri-la. Tenta-se uma vez, duas, tenta-se até uma terceira vez.
Não dá? Salta-se pela janela, mesmo que se parta uma perna ou um braço.
Mas ali dentro,não.

segunda-feira, novembro 26, 2007

pensamento para 2º feira

Eu prefiro ser
Essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha
Opinião formada sobre tudo
Raul Seixas

domingo, novembro 25, 2007

o tal canal

Muito interessante (e revivalista) a iniciativa de escolher quais os melhores programas da Tv portuguesa.
Escolho só um, para facilitar. Pena também que alguns deles só conheça de nome e de fama, e que não pude assistir.
Eu escolho o Tal Canal. Faz também parte das memórias da infância.

Para votar - http://melhoresprogramas.blogs.sapo.pt/

sexta-feira, novembro 16, 2007

a beleza não tem preço


Esta semana tive a oportunidade de assistir, de madrugada, a mais um " Toda a Verdade" na Sic Notícias.

O tema da reportagem era o negócio ( de milhões, como asseguarava o jornalista) das extensões de cabelo. Afinal, de onde vem tanto cabelo? Da Índia e daqueles que sacrificam o seu cabelo em nome da religião e das suas crenças. E para que lhe rapem o seu cabelo, ainda pagam 15 rupias, o preço de uma refeição.
A reportagem começava num super-fashion salão de cabeleireiro parisiense, onde a lista de espera para colocar extensões é grande - uma semana.
Os preços para esta vaidade são exorbitantes : cada extensão pode custar 10 euros ( e como não se coloca três ou quatro extensões) o jornalista falava com senhoras, muito orgulhosas do seu cabelo, e que tinham acabado de gastar 1000 euros para fazê-lo. Segunda uma das senhoras entrevistadas - " a beleza não tem preço".
O cabelo é recolhido nos templos, sendo que em cada um desses templos existem duas ou três raparigas que são pagas para recolher o cabelo e metê-lo em recepientes, depois seguindo para a Europa ( neste caso, para Itália, passando por algumas transformações químicas de cor ) e mais outras centenas de mulheres são depois pagas para fazer uma triagem de pequenos cabelos negros em grandes cabeleiras loiras, já descoloradas. Este processo é feito na Ìndia, porque sempre que não se consegue descolorar a 100% uma cabeleira, a matéria prima volta à origem.
Na Índia rapam-se cabelos por motivos religiosos ( e porque a grande maioria não tem mais nada para oferecer às divindades), dando pouca importância ao ego. Assim, isso serve para encher o ego às senhoras ocidentais, onde acredito que a maioria desconheça de onde surge o cabelo que elas colocam na sua cabecinha. E o mesmo acontece com os indianos : não sabem o destino do seu antigo adorno capilar.

Cada um é livre de fazer o que bem entende, de gastar o seu dinheiro como prefere, mas ficou-me na cabeça o preço das extensões - 1000 euros e o valor médio de um salário na Ìndia : 30 euros.

very impressive

A loja Fnac do Colombo foi considerada, em 2006, a unidade operacional com maior
rentabilidade do grupo Fnac em todo o mundo.

quarta-feira, novembro 14, 2007

dia 12 de novembro


O orelhão da minha rua
Estava escangalhado
Meu cartão tava zerado



Posso falar
Tive razão
Não foi legal, não caiu bem


O Samba tá aí
O samba tá..
Tá no sangue daquele que sabe sambar

Na voz e no violão, na cuíca. Samba, funk, rock no ar, no pézinho que dançou, na mão que bateu palma, na anca que abanou.
Sotaque brasileiro, sotaque português. O palco foi meu. Foi de quem quisesse lá ir.

Eu não quero sair
Hoje eu vou ficar quieto
Não adianta insistir
Eu não vou pro boteco




Sempre fui o seu moleque
Que fica sambando numa perna só
Só, só, só, só
Eu sou um moleque no black no pé
Pé, pé, pé,pé

Foi até Cidade de Deus, foi a moral em cima. Foi uma viagem ao outro lado do Atlântico por três horas.
Genuíno, contador de histórias. Ouvir com atenção as suas palavras. Mané Galinha.
Dedicado a todos os moleques a trabalhar com 6 anos a vender chiclete na rua. A todos que têm pão, mas não manteiga, café mas não açucar.

Mas você crê se quiser.

aqui dá para ver e ouvir ( sem o som do público ) as primeiras três músicas do concerto.É só clicar onde diz vídeos.

velha, velhinha...

Qual é a publicidade mais velha de sempre?

A do Ferrero Rocher e do Ambrósio que não envelhece.

inadmissível

Tenho uma dívida para com a VIA VERDE.
No valor....... de 30 cêntimos.


É a caça à multa....

quarta-feira, novembro 07, 2007



Um pouco do Brasíu na segunda feira. Vou lá estar, no Coliseu.

Obrigado!

não gosto# 3

Porque é que os anúncios a produtos depilatórios insistem em ter pernas ( ou outra parte do corpo que mereça ser depilada) já depiladas? Mas que ainda assim insistem em passar a banda depilatória pela perna depilada, bronzeada e perfeitinha.
Sim, é verdade,evita-se imagens menos atraentes de pernas de senhoras...

terça-feira, novembro 06, 2007

thriller

Isto é um belo clip musical.
Tirado do baú das memórias...
mas actualizado.

domingo, novembro 04, 2007

amanhã

Expiro. Inspiro. Choro. Fungo. Dá-me um lenço para me assoar.
Caio na cama. Uma lágrima cai no lençol. Duas lágrimas. Três.
Puxo a almofada, e ponho-a por cima da minha cabeça. Soluço.
Tremo. Expiro. Inspiro.
Levanto-me, dispo a roupa que atiro para o chão.
Entro no chuveiro. Que bom, a água quente. Confundo as minhas lágrimas salgadas com a água ensaboada do gel de banho que me desce pelo corpo. O choro está a aliviar-me e o gel de banho cheira bem.
A minha toalha para secar. Volto à cama. Expiro. Inspiro. Penso. Relaxo. Repenso. As lágrimas são cortadas a meio da minha boxexa pela mão.
Amanhã vou escancarar a janela ao sol que vai brilhar.
Amanhã vai ser o meu dia.

segunda-feira, outubro 29, 2007

charme português

Depois do charme francês do Sarkozy (com banhinhas apesar do photoshop) e do charme russo àlla naturelle de Vladimir Putin, aguarda-se com alguma expectativa ,pelo primeiro político português a deixar-se fotografar numa pose mais sexy ou deixar que o seu charme se espalhe.

Santana Lopes auto-candidata-se, Paulo Portas tem especial orgulho dos seus dentes, José Socrates e Luís Filipe Menezes gostariam muito e Marque Mendes sonha com isso todos os dias.

segunda-feira, outubro 22, 2007

Buraka nos Ema

Este ano a MTV dá oportunidade a uma banda - de um país da Europa, a actuar nos Mtv Europe Music Awards.
Gostava de ver os Buraka Som Sistema a tocar nos EMA, este ano em Munich.
Todos os dias é eliminada uma banda, e surpresa ou não,os Buraka ainda se aguentam. Este ano fartaram-se de tocar nos mais importantes festivais europeus, seja na Holanda ou Reino Unido.
(ainda assim, é injusta a concorrência dos Klaxons, que são de longe uma banda famosa e reconhecida, e não são uma banda a nível " nacional".)
Para votar : http://ema.mtv.pt/voteNow#/new-sounds-of-europe/

Era ver o Snoopy Dogg ( pelos vistos o apresentador de serviço) a abanar a anca ao som do " Yah".

domingo, outubro 21, 2007

teima

Dedicado a todas as mulheres com jogo de cintura e a todos os homens com teima e teimosia.
Viciante.

Se um dia me aproximar de ti
Não penses que é só um flirt
não julgues que é um filme
Que já viste em qualquer parte
Pensa bem antes de agir
Evita ser imprudente
Faz a carta do meu signo
E vê a lua com ascendente

Tem cuidado e tira a teima
vê aquilo que sou
tem cuidado e tira a teima
Vê aquilo que sou

Tu não sonhas ao que venho
Não sabes do que sou capaz
Eu dou tudo quanto tenho
Não funciono a meio gás

vem sentar-te à minha frente
E diz-me o que vês em mim
Não respondas já a quente
Pondera antes
de dizer sim

Tem cuidado e tira a teima
Porque aquilo que sou
Fere, rasga e queima
Tem cuidado e tira a teima
Porque aquilo que sou
Fere, rasga e queima

Diz-me diz-me se vês o granito
Onde a cidade, os grandes temas
Diz-me se vês o amor infinito
Ou somente um par de algemas

( Refrão bis, bis)

Tira a teima, Clã, 2007

sexta-feira, outubro 19, 2007

não gosto #2

Um anúncio, para um banco, em que vemos o Cristiano Ronaldo, deitado num colchão, com uma t-shirt branca e é-nos dito :

" o Cristiano Ronaldo é como o dinheiro : parado, não rende".
Mas porque é que parado,
tem que ser deitado num colchão?

quarta-feira, outubro 17, 2007

não gosto

Confesso, não gosto mesmo nada da nova música do Tiago Bettencourt.
Soa-me tudo ao mesmo desde a famosa " Carta".

domingo, outubro 14, 2007

terça-feira, outubro 09, 2007

vem

No dia em que se sentirem inspirados, declarem-se.

Amor, vem ter comigo.
Vamos fazer uma casa, podemos até começar pelo telhado se quiseres. Telha a telha. Vermelhas como a a paixão.
Vem comigo construir as paredes sólidas que nos protegem. Pinta-las com a cor dos nossos desejos. Abrir janelas e portas na parede, para espreitarmos lá pra fora.
Vem comigo partilhar um quarto. A cama, a minha almofada. Acender a luz do candeeiro. Ajeitar a colcha que nos tapa do frio.
Vem comigo partilhar uma sala. Um sofá grande onde nos estendemos, damos as mãos e onde assistimos à TV que transmite a nossa viagem.
Vem comigo partilhar a lareira, aquele cantinho, onde me aqueces o coração e a alma." O amor é fogo que arde sem se ver".
Vem comigo partilhar uma cozinha e nela partilhar novos sabores e texturas. Vem comigo partilhar um terraço, onde a vista e o horizonte nao tem fim." Bring me that horizon".
Como eu e tu.

quinta-feira, outubro 04, 2007

esperar

Não sei....
QUEM ESPERA, DESESPERA...
mas....
QUEM ESPERA SEMPRE ALCANÇA.

e agora?
eu espero.

domingo, setembro 30, 2007

cor

Neste domingo cinzentão, queria vestir-me de azul brilhante como a Feist,cantar e dançar rodeada de gente vestida de vermelho, amarelo, verde. Espalhar a cor por aí.

Bom domingo!

quinta-feira, setembro 27, 2007

papel-bolha

Num dos post anteriores falei em a-coisa-melhor-do-mundo. Esqueci-me de falar do papel-bolha e da maravilhosa sensação que é rebentar aquelas bolhas( que não se explica, ou então explica-se com a clássica definição " uma sensação de absorção mas ao contrário").
Todos nós conhecemos este fenómeno. Quando não tiverem dinheiro ou pachorra para irem comprar o papel-bolha ( ou se não souberem onde comprá-lo) vão a :


http://www.gustavoguimaraes.com.br/arquivo/images/papelbolha.swf

e vão encontrar isto :


Não é a mesma coisa, mas serve para relaxar em momentos stressantes, ou simplesmente quando nada vos surgir para fazer.
Conselho de utilização : experimentar " Manic Mode".

terça-feira, setembro 25, 2007

segunda-feira, setembro 10, 2007

a melhor coisa do mundo


Há tanta coisa que podemos dizer que é a melhor do mundo.
O chocolate, o sorriso de que mais gostamos, o pôr de sol da nossa janela, o brinde no restaurante com os nossos amigos, o viajar, o simples receber de um telefonema com boas notícias, um gelado no inverno, aquele filme que nos faz rir,aquele abraço que há algum tempo esperávamos receber, a nossa música preferida a ressoar em alto volume no nosso carro, o acordar num sábado tranquilo sem termos que ir trabalhar, pôr o relógio de parte nas férias e não ter pressas, o beber de um delicioso sumo numa esplanada com vista panorâmica do nosso local favorito.

Afinal, são tantos momentos e sensações que podiam caber aqui neste texto. Mas, e se de repente tivesse que escolher só uma?

Podia escolher a praia.
Verão ou Inverno. Vazia, ou com mais chapéus de sol a colorir o areal. O descalçar dos sapatos e os grãos de areia, a entranharem-se nos nossos pés. Uns grãos de areia dentro dos nossos ténis.
Sol, a torrar, o cheiro do protector solar. O mar azul, transparente. Céu nublado, o vento a soprar, o mar azul, mais acinzentado. As cores do mar. A cor da toalha da praia. Estendida, onde nos estendemos. Dobrada e revirada, impossível de controlar se o vento dá de si.
Pequena ou de vasto areal. Com rochas a fazerem-nos companhia e a pedirem-nos cuidado onde pomos os pés. Com todo o horizonte à frente. Olhamos para a esquerda, mar, olhamos para a direita, mar. Nada mais.
O corpo, num reduzido bikini, num antiquado fato de banho, nuns calções de banho com flores havaianas. A água fria, gelada. A água menos fria. As ondas, a rebentação. O mar sem ondas. A maré vazia e a maré cheia.
O mergulho. Tímido, espalhafatoso, de chapa. O som do nadar e do nosso chapinhar na água.
Estendidos na areia, olhos fechados, ouvidos atentos com o som das ondas a rebentar.
O corpo molhado, o corpo seco, com o sabor do sal.
Boiar. O mar por baixo de nós, e em cima, o céu.
De dia, de noite. Sempre.

A praia.

terça-feira, setembro 04, 2007

la cosa vostra


-> É este livro que estou a ler.




Y
ou talkin' to me?
You talkin' to me? You talkin' to me?
Then who the hell else are you talkin' to?
You talkin' to me? Well I'm the only one here.
Who the fuck do you think you're talking to?"

segunda-feira, setembro 03, 2007

no leme


Cumpriu-se o bom dever cívico do português.
Ver todos os anos os Xutos e Pontapés ( pelo menos uma vez..)em concerto.
Ontem em Belém, mesmo ao lado da Torre.
Eu e mais de metade da população lisboeta.


E uma vontade de rir nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
a vida é sempre a perder...

sábado, agosto 25, 2007

méééé

Quando estamos com preguiça intelectual e nada ocorre para fazer um post, existe sempre uma solução muito eficaz, e muito proveitosa. Recorrer á Imprensa. E para mal dos nossos pecados, o mercado do absurdo e do fait-divers não existe só no 24horas ou no Tal e Qual.
A seguinte notícia surge no Diário de Notícias ( que se torna lentamente um novo Correio da Manha) :

Carneiro à solta em urbanização


Amadora. Animal andou desorientado durante quatro horas a acabou por partir uma porta em Casal de Vila Chã.

Um carneiro andou à solta numa das novas urbanizações em construção na Amadora e destruiu uma porta de vidro com uma marrada. Depois de vaguear entre os prédios e carros durante mais de quatro horas, o animal subiu as escadas de acesso a um prédio da Avenida Cottinelli Telmo, em Casal de Vila Chã, e surpreendido com o reflexo numa porta, deu-lhe uma marrada. Assustado, acabou por fugir. Tudo aconteceu às 20.00 de quarta feira. a PSP esteve no local.



ps. Decidi ilustrar o artigo tal como ele estava no jornal.
ps1. Assim vale a pena comprar jornais, porque a partir de agora, vou passar a ter mais cuidado de cada vez que saia do meu prédio, não vá estar um carneiro assustado e cornudo à minha espera. A Imprensa cumpre assim a sua função.

terça-feira, agosto 21, 2007

no title

A imprevisibilidade é melhor amiga das nossas certezas.
As nossas certezas são as nossas melhores ilusões.

quinta-feira, agosto 09, 2007

e tomar banho nunca mais foi a mesma coisa


Na passada terça feira, dei-me a uma experiência diferente. Fui "festejar" a Festa do Cinema 2007, do INATEL. Fui ver o mítico Psycho do Hitchcock. Não foi a primeira vez que tive oportunidade de assistir ao filme, mas em versão " ecrân grande" é tudo muito mais divertido. E em boa verdade o mais divertido de tudo é que o filme não se resume à também mítica cena do chuveiro, que ficámos a saber demorou.... uma semana a ser filmada!
O realizador quis filma-la de 80 ângulos diferentes... perfeccionista?


Já não se fazem filmes de terror assim! Não há filmes perfeitos, mas este é daqueles que chega lá perto...
Metam-se na vossa sala, sozinhos em casa, desliguem as luzes e ponham o som bem alto...
BUH!

Bom filme!

O Ben Harper é um grande músico e a Vanessa da Mata tem uma presença simpática.
Assim se fez uma canção que gosto.
Boa Sorte. ou Good Luck.


É só isso

Não tem mais jeito

Acabou, boa sorte

Não tenho o que dizer
São só palavras
E o que eu sinto
Não mudará

Tudo o que quer me dar
É demais
É pesado
Não há paz

Tudo o que quer de mim
Irreais
Expectativas
Desleais

That’s it
There is no way
It over, Good luck

I have nothing left to say
It’s only words
And what I feel
Won’t change

Tudo o que quer me dar / Everything you want to give me
É demais / It´s too much
É pesado/ It’s heavy
Não há paz / There is no peace

Tudo o que quer de mim / All you want from me
Irreais / Isn´t real
Expectativas / Expectations
Desleais

Mesmo, se segure
Quero que se cure
Dessa pessoa
Que o aconselha

Há um desencontro
Veja por esse ponto
Há tantas pessoas especiais

Now even if you hold yourself
I want you to get cured
From this person
Who poisoned you

There is a disconnection
See through this point of view
There are so many special people in the world
So many special people in the world
In the world
All you want
All you want

Tudo o que quer me dar / Everything you want to give me
É demais / It´s too much
É pesado / It’s heavy
Não há paz / There is no peace

Tudo o que quer de mim / All you want from me
Irreais/ Isn’t real
Expectativas / Expectations
Desleais

Now were Falling into the night
Um bom encontro é de dois

terça-feira, julho 31, 2007

dupla homenagem

Assim, de repente, o cinema perde dois dos seus maiores realizadores.

Primeiro, Ingmar Bergman.

Depois, Michelangelo Antonioni.

Goste-se ou não, não se discute a importância das suas figuras e das suas obras.
E assim de repente, deixo aqui a minha (dupla) e sentida homenagem.

Ingmar Bergman













Michaelangelo Antonioni


A 7º arte também vai sentir a vossa falta.

terça-feira, julho 24, 2007

Maravilhoso mundo da publicidade - parte I


"Passa mais tempo com os teus amigos, e não com tampão"
-
nova slogan da OB


Fazer anúncios a tampões deve ser coisa para fazer dor de cabeça aos criativos. " Estás a trabalhar no quê? Olha... nos tampões da OB."
Como se faz uma publicidade gira a tampões ? Não se faz, porque o tampão não é uma coisa gira.
Quanto menos se falar nele melhor.
Ele tende a ser discreto. Aliás, é para isso que serve. Basta dizer que é confortável. É que o resto...não interessa.
Misturar na mesma frase palavras como tampão e amigos não é uma boa ideia. Depois dizer " passa mais tempo com os teus amigos, e não com o tampão" é uma redundância redundante ( passo a redundância).
Toda a gente sabe que o tampão só serve para certos dias do mês... e os amigos não!


A menos que se trate de alguém extremamente anti-social.

quinta-feira, julho 05, 2007

Abrir a janela ao Verão

Deixo a janela aberta.
Olho as luzes da cidade.
Sinto as boas vindas das noites de Verão.
Vou sonhar com o Sol que amanhã vai brilhar no céu azul.

E para dizer olá aos melhores meses do ano ouço Águas de Março.

quarta-feira, junho 27, 2007

bailinho


O Centro Cultural de Belém apresenta....
O seu próximo grande acontecimento musical :

O Bailinho da Madeira.


quinta-feira, junho 21, 2007

descompensar o nervo


Ultimamente há um anúncio que têm criado uma irritaçãozinha, uma ligeira descompensação do nervo : ( alla Bruno Nogueira )



O Anúncio da Tvcabo - da Teresinha, da Luisinha e da Zézinha


( não, não me fazem lembrar os Charlíe´s Angels, mas sim os sobrinhos do Pato Donald)

quarta-feira, junho 13, 2007

arrumações

Abriu as portas do armário e todas as gavetas. As particulas do pó e do mofo misturaram-se rapidamente com as partículas do ar viciado daquele quarto.

Esvaziou o armário e atirou tudo para o chão. Olhou para aquele interior de madeira vazio e nu como nunca tinha visto.
Olhou para as gavetas e numa fúria contida, arrancou delas tudo o que tinham dentro.

O seu contéudo estava espalhado pelo chão. Desarrumado, abandalhado, desleixado e desprezado. Tal como estava dentro do armário. Mas as portas ocultavam o que agora estava à vista, à luz do dia.

Não era fácil encarar aquela desarrumação. Era preciso trabalho e paciência. Limpou o pó. Deu um novo brilho à madeira. Organizou tudo o que tinha. Deitou fora o que não queria, não precisava e o que nunca teve coragem de meter dentro do caixote do lixo ou mandar pela janela.

Descobriu coisas que já não se lembrava que tinha e que gostava.
Por entre armários, caixas e gavetas descobriu que ao conhecer o que tem por detrás de portas e gavetas era muito mais feliz.

segunda-feira, junho 11, 2007

Lisboa!



12 de Junho. Lisboa.
Na Bica, Alfama ou Castelo.

Manjerico, sardinha assada, Santo Antoninho, ambiente popularucho.

A noite do expoente máximo do espírito Alfacinha


Quem diz que não?

quinta-feira, junho 07, 2007

7º arte


Já vi :




Piratas com charme





Quero ver :




Larápios com charme





Desenhos animados com charme











nota : Eu gosto de Blockbusters de Verão

terça-feira, maio 29, 2007

A fidelidade faz parte da paixão pela propriedade.
Abandonaríamos muitas coisas se nao receássemos que outros se apoderassem delas.

Oscar Wilde

quinta-feira, maio 17, 2007

Acorda-me antes que vás-vás


Sim,confesso. Eu gosto da canção " Wake me up before you go go" dos WHAM!
Ah pois gosto.
E gostava de me mexer e de estalar os dedos exactamente da mesma forma como o George Michael faz neste video :




Wake me up before you go go
Don't leave me hanging on like a yo-yo


Acorda-me antes que vás-vás
Não me deixes pendurado(a) como um yoyo



ps. A palavra que é dita no início da canção é " Jitterbug". Isto era para mim um grande mistério...

Confissão número 2 : Alberto, sujeito do Nariz Azul, pois é, tu fazes-me lembrar o George Michael!


sábado, maio 12, 2007

A revolta das carteiras vazias


Ele é Super Bock Super Rock, ele é Oeiras Alive ( nome que deixa a desejar) ele é Creamfields, ele é os habituais festivais de verão, ele é Rolling Stones, ele é George Michael à ultima da hora, ele é Dave Mathews Band e parece que ele é Police ( mas talvez mais para o final do ano...)
Deixem-me comentar os seguintes factos :

Oeiras Alive
Não lembra a ninguém juntar no mesmo dia Pearl Jam ( que deram dois concertos em setembro passado..) e os Linkin Park. Pior mesmo é saber que os Linkin Park vão tocar antes dos Pjam - que sacrifício. ( desculpem pela imparcialidade)

E assim, sem ninguém dar por nada, parece que os Smashing Pumpkins renasceram das cinzas e lá vão reaparecer no mesmo dia dos White Stripes.
Concluindo - era de bom gosto juntar os Smashing e os Pearl Jam no mesmo dia. São bandas dos 90´s.

O 3º dia é mais equilibrado, e para quem gosta da onda, 45 euros são bem gastos. Agora os outros dias, deixam a desejar. Tão poucas bandas por tanto dinheiro?

Super Bock Super Rock

Bom, parece que tem Metallica, e quem tem tudo. Tem as bandas da "moda" no mesmo dia - Bloc Party, Arcade Fire e The Klaxons. Os 40 do bilhete diário euros já valem a pena.

Claramente não tem aqueles grandes nomes de chapa 3 como o Oeiras Alive, mas no geral é muito mais consistente.

Quase que aposto que a Música no Coração (Super Bock Super Rock) vai sair-se melhor desta vez...

Depois há os etc e etc do CreamFields ( que sugere um dia bem passado) e mais 45 euros para gastar.
E depois todos os outros concertos a miúde e os vindouros festivais de Verão...

CARTEIRAS VAZIAS, REVOLTEM-SE!

domingo, abril 29, 2007

Feios, PORCOS e maus



Frase de Francisco Louçã - deputado do Bloco De Esquerda, esta semana no parlamento :

"O poder politico comporta-se «como um glutão» no controlo da comunicação social :"É como ver um porco a passear e pensar logo em dois presuntos!"

Viva o humor.

sábado, abril 14, 2007

O Caimão

Já vi o "Il caimano" - " O Caimão" - crocodilo pequeno voraz, que serve de metáfora a Silvio Berlusconi.
Que não se pense que se trata somente de um filme político. É, mas não totalmente. Retrata la Italia(etta) actual, para o bem e para o mal.
A certa altura do filme uma personagem de uma outra nacionalidade diz qualquer coisa como " quando nós pensamos que vocês, Italianos, já bateram no fundo, vocês escavam e escavam e batem ainda mais fundo". Bom, é mais ou menos esta a ideia.
Problemas de identidade não são só características portuguesas.
Para quem ainda não viu o filme, ou quem já viu, mas quer ir ver outra vez, já há uma boa desculpa : Hoje, no cinema Monumental, por volta das 21.30, há uma sessão especial do filme, que conta com a presença do realizador do filme : Nanni Moretti.




sexta-feira, março 30, 2007

8º maravilha jornalistica

Sofá da minha sala. Pego no telecomando e faço zapping e paro perigosamente no canal 4 da minha televisão - TVI. Perigosamente demoro mais do que 3 segundos a verificar o que estão a dizer. É hora de telejornal - a hora menos credível de toda a programação da estação.
Acaba a reportagem das 7 maravilhas de Portugal, apoiada pela TVI.
E ao que se segue a frase do pivot do telejornal :
" Esqueça as 7 maravilhas, pois apresento-lhe a 8º maravilha de Portugal : Tony Carreira...."
E acho que deve ter continuado a falar. Eu mudei de canal....

sábado, março 24, 2007

quando nao temos nda pa dizer, faz-se mais um post de uma canção


1 milions ways to burn. Choose one. Ursula Rucker.

I look upon you
with eyes burnt
from tears
sear the meat
of my heart
with memories
of your hot/cold words
your dry ice words
sticking
stinging
singing
with vision blurred
I watch our love go up in a frigid smoke
guess I got to close
I inhaled
I choked

slow burn, slow burn
slow burn, slow burn
slow burn, slow burn
slow burn, slow burn

Etched you name on my walls
with the fire in your touch
Our ardor once warmed like summer
soldered bodies
we swamin simmering sweat
I melting metal
softening
glowing fiery orange like the sunbending

You blacksmith
branding
At strangest times
I feel the heat of the ironstill

slow burn, slow burn
slow burn, slow burn
slow burn, slow burn
slow burn, slow burn

Like smoldering coals now
weaker but able to burnstill
3rd degree
1st degree

This hurt turns angry
scaldslike freshly boiled tea waterspilled
upon fleshmaking skin bubble
then blister later to heals
carring still
Etch my name on your wall with a caustic tongue
hope at strangest times you feel the heatstill

slow burn, slow burn
slow burn, slow burn
slow burn, slow burn
slow burn, slow burn

Shall we leave our love at the stake
within a fence of flames
sacrificed on an altar of discontent
sacrificed for no greater purposeon an altar of self
for the purpose of self
Will the rains come
to douse or drown
Will we rebuild from the ember and ash
Or will nothing ever grow hereo
n this burnt earth
that was
us

slow burn,
slow burn
slow burn, slow burn
slow burn, slow burn
slow burn, slow burn

Burn from passion
or displeasure
Burn
slow burn~

One million ways to burn
choose one
One million ways to burn
choose one
choose one
choose one
choose one
choose one

segunda-feira, março 12, 2007

Jorge Palma, capítulo 1

A declaração de amor alternativa, ao bom estilo do Jorge Palma.

Chegaste com três vinténs
e o ar de quem não tem
muito mais a perder
o vinho não era bom
a banda não tinha tom
mas tu fizeste a noite apetecer
mandaste a minha solidão embora
iluminaste o pavilhão da aurora
com o teu passo inseguro
e o paraíso no teu olhar

Eu fiquei louco por ti
logo rejuvenesci
não podia falhar
dispondo a meu favor
da eloquência do amor
ali mesmo à mão de semear
mostrei-te a origem do bem e o reverso
mostrei-te que o que conta no universo
é esse passo inseguro
e o paraiso no teu olhar

Dá-me lume, dá-me lume
deixa o teu fogo envolver-me
até a música acabar
dá-me lume, não deixes o frio entrar
faz os teus braços fechar-me as asas
há tanto tempo a acenar

Eu tinha o espirito aberto
às vezes andei perto
da essencia do amor
porém no meio dos colchões
no meio dos trambolhões
a situação era cada vez pior
tu despertaste em mim um ser mais leve
e eu sei que essencialmente isso se deve
a esse passo inseguro
e ao paraíso no teu olhar

Se eu fosse compositor
compunha em teu louvor
um hino triunfal
se eu fosse critico de arte
havia de declarar-te
obra-prima à escala mundial
mas eu não passo dum homem vulgar
que tem a sorte de saborear
é esse passo inseguro e o paraiso no teu olhar

Dá-me Lume, Jorge Palma ( 1989)

sábado, março 10, 2007

Heróis do mar


Por alturas de homenagem aos Heróis do Mar, do regresso aos nossos anos 80 ( e a propósito do lançamento do documentário Brava Dança - documentário de Jorge Pires e José Pinheiro) também eu arranjo espaço para lhes dedicar um post :


Heróis do Mar,
Amor

Ai este caminho em flor
Cheio de sol
Perfumado com o nosso amor

Quando a tua mão e a minha
Trocam doçuras
No calor eterno de ternuras

Com amor não me mataste o desejo
Com amor com o teu primeiro beijo
Com amor não me mataste o desejo
Com amor com o teu primeiro beijo

Quando a tua mão e a minha trocam delícias
No calor eterno eterno de carícias

Com amor não me mataste o desejo
Com amor com o teu primeiro beijo
Com amor não me mataste o desejo
Com amor com o teu primeiro beijo


( bis, bis , bis)

não encontrei a letra da canção em lado algum. foi escrita de ouvido.

Também foi impossível escrever a entoação com que se deve cantar esta canção.
Vocês sabem! ( com aaaaaaamor!)

quinta-feira, março 08, 2007

quotidianismos

"Os muros da vida quotidiana é que me estafam"


Fica comigo esta noite, Inês Pedrosa

domingo, março 04, 2007

o mito das garrafas de água


Em todos os automoveis que entrava ( principalmente de amigos) o fenómeno repetia-se :


Num automóvel de gente jovem nunca pode faltar uma garrafa de água, porque a sede surge sempre quando menos se espera e porque a água não serve só para beber.

É multifunções quando está dentro de um carro.


O comum é eventualmente existir uma pequena garrafa de água em cada carro. Mas, o que vai acontecendo é que com o passar do tempo, e sem ser bebida, a água sabe mal e a garrafinha começa a definhar ou parece que embaciou - é olhar para o plástico.Mas a garrafa continua lá.


Tão frequente como ter uma garrafa de água perdida no carro é ter várias garrafas de água perdidas no carro. Pequenas, de 33cl, médias de 0.50 cl ou mesmo de um litro e meio - e de várias marcas, porque fidelidade a uma marca de água não é costume.


Não se sabe bem como vão lá parar, mas ficam por lá. À umas semanas atrás tinha 2 garrafinhas ( de marca diferentes) alojadas pelo banco do pendura.Olhei para elas e decidi que era altura de tirá-las dali.


O pior mesmo foi mesmo quando,à dias, andava à procura de um papel que achava ter perdido no carro, espreitei para baixo dos bancos e tal não foi o meu espanto quando me deparei com 2 tímidas garrafas de 33cl debaixo do mesmo banco. Estavam ali, escondidas, e eu não sabia da sua existência.


Não me lembrava de como tinham ido ali parar, mas também não fiquei muito tempo a pensar nisso. Já percebi que o fenómeno é mais forte que eu, e por isso rendo-me às evidências e deixo que as garrafas continuem debaixo do banco. Sei lá quando vou precisar delas...