sexta-feira, junho 16, 2006

o presente nunca aberto


Ontem abri o presente que nunca chegou às mãos que deveria ter chegado. Demorei alguns meses, quando de novo, o descobri, perdido na imensidão do meu pequeno quarto.
Olhei para aquilo, e achei que era mais que tempo de deixar ser o presente que nunca foi aberto - é um presente para mim. Só para mim. Espero que do outro lado não existam recordações minhas, porque a única que existia deste lado já foi apagada.
Ainda bem que o tempo é o melhor amigo, nunca me desiludiu.



2 comentários:

Flor de Lótus disse...

sempre existem presentes assim...

Cyclone disse...

o tempo não faz mais nada que ajudar a esquecer.
Nós é que ajudamos o tempo a apagar o que faz questão de não ir embora no esquecimento.
Presentes envenenados são para apagar sem dúvida.