terça-feira, maio 24, 2011

sozinha

habituei-me sempre a viver "sozinha" desde cedo - talvez porque ser filha única, tive que desde inicio puxar pela criatividade - para arranjar brincadeiras e divertir-me por mim mesma, sem precisar de mais ninguém.






fui crescendo, com muita aptidão para grandes amizades e com pouca aptidão para o romance, talvez meio que desabituada a estar com alguém por perto, não porque assim o quisesse, mas porque ia-me cruzando com pessoas menos aptas que eu.






não desejo ser solteirona, desejo ter filhos e arranjar alguém para estar ao meu lado. vejo casais felizes à minha volta e isso parece ser o suficiente para poder acreditar que algo ainda existe, para além dos incapacitados sentimentais que resolvem bater-me à porta e que pedem gentilmente para que eu perca tempo com eles a discutir a sua incapacidade. Com tamanhas conversas, fico eu cada vez como eles.

3 comentários:

Vento disse...

Nossa exibiste meus pensamentos em teu post. Ao contrário de vc na infância jamais estive sozinho, mas rodeado de gente o que me levou a procurar a solidão. Mas também penso em ter família, mas uma pessoa invadindo minha vida, desagrada-me profundamente

Anónimo disse...

melhor post q já li neste blog.

ass.: uma filha única! ;)

Kit-Kat disse...

:)))