segunda-feira, dezembro 22, 2008

tratado do dia do aborrecimento

Hoje tou zangada. estou mesmo.
Gosto de sorrir, quando me sorriem.
E também gosto de não mostrar os dentes nem boa disposição quando do outro lado mostram o mesmo.
Aprovo a lei do "dá o que recebes". Embora a lei também seja " you get what you give".
Quando é que tudo começou?
Quando é que comecei a receber pouco? Quando passei a dar pouco? Ou quando comecei a receber pouco e daí senti que devia dar menos, ou apenas o suficiente?
Não gosto de viver com raiva e amargura dentro de mim, a infestar-me a mente e o coração. Se assim fosse, envelheceria mais cedo. E eu não quero...
Vou deixando de tar triste. Passo apenas a ser indiferente. A vida ficará mais vazia?A vida também é vazia quando sentimos a balança desiquilibrada.
Há ainda quem mereça e saiba, receber-esses ainda merecem um pouco da força que resta.
Por vezes são meros desconhecidos, e que passam brevemente pela nossa vida.
Isto faz-me ainda mais sentido nesta altura do Natal, onde dar e receber são verbos usados ao pontapé.Ui,o meu espírito natalício está mesmo em altas.
Deixei-me de importar.

Um dia faço as malas e vou.

2 comentários:

SG disse...

posso ir ctg? eu sei rir

Anónimo disse...

Depois desse discurso merecias era uma chapada na cara e um beijo na boca...